Nesta área dão-se conta dos mais recentes posts em blogs de astronomia, em português. Se tem um blog de astronomia e gostaria que os últimos posts fossem aqui referenciados, por favor envie-nos um mail para aia2009@mat.uc.pt
Os conteúdos dos blogues indicados não são da responsabilidade da Comissão do Ano Internacional da Astronomia

Yuri Petrovitch Artyukhin

O único cosmonauta que conheci durante a minha vida foi o Yuri Petrovitch Artyukhin, um engenheiro militar especialista em sistemas de comunicações, que esteve no espaço em Julho de 1974, na missão Soyuz 14. Conheci Artyukhin em Coimbra, durante uma pequena apresentação organizada pela Secção de Astronomia de Coimbra em 9 de Novembro de 1990. Uma coisa que me impressionou na altura foi a sua robustez física e o olhar profundo de quem já tinha visto o espaço. Tinha um ar tipicamente soviético. Tinha ao lado um tradutor da Associação Portugal-URSS, que lá foi explicando o que o homem dizia. Soube que morreu de cancro em 1998. Nunca mais ouvi falar dele. Ontem em conversa lembrei-me do homem.

artyukhin_yuri


Blog: Radiante | 19 Aug 2013, 3:24 am

ESTE BLOGUE ESTÁ ENCERRADO.

Blog: Planetário do Porto (blogue ENCERRADO) | 23 May 2013, 4:40 pm

Vai uma gravação… :)

… na ISS? :)

 


Blog: Astronomia Para Todos | 14 May 2013, 9:00 pm

Orion served with Cheese

 

Orion constellation, Sirius and friends above Cheese Castle (Fort São Francisco Xavier), Porto, Portugal. The reddish gradient is due to light pollution from the city.
Taken with Canon 1000D, 18mm lens, in 14/March/2013. HDR composition.


Blog: AstroWaves - Waves of Stars | 7 May 2013, 8:58 pm

Marte na escola

Termino mesmo com Marte. Em tempos pensou-se que era habitado e a nossa curiosidade fez com que fosse o mais visitado por máquinas de origem humana. Temos por lá muita coisa. Gosto desta rocha vermelha e gosto de falar sobre isto aos mais novos. Cumpro assim o meu destino. Levar os outros aquilo que as máquinas mandam para cá. Ver aqui.


Blog: Radiante | 23 Apr 2013, 1:12 am

1% of Moon


I took this photograph while I was looking for comet Pan-STARRS last Tuesday (12/Mar/13). The Moon was just beautiful, displaying a thin crescent, with its disk only 1% illuminated!

Blog: AstroWaves - Waves of Stars | 15 Mar 2013, 1:33 am

Welcome Comet Pan-STARRS


Although the weather wasn't very good, I managed to photograph Pan-STARRS between the clouds. I took this photo in the city of Porto, Portugal, facing the Atlantic Ocean which is perfect because there is nothing to obstruct the view. In addition, a ship was passing and the comet seems to be falling into it. Who wants to play Battleship?

Taken with Canon 1000D, 250mm lens at f/5.6, 2.5sec, ISO 400.

Blog: AstroWaves - Waves of Stars | 13 Mar 2013, 12:41 am

Two comets sweeping through the Southern Skies


Comets Lemmon and PanSTARRS sweeping through the Southern Skies from Alex Cherney on Vimeo.

Blog: AstroWaves - Waves of Stars | 27 Feb 2013, 3:42 pm

BOM ANO NOVO

Blog: Planetário do Porto (blogue ENCERRADO) | 2 Jan 2013, 1:31 pm

Christmas Conjunction: Jupiter & Moon




I just finished to process the images I took last night of the Jupiter-Moon conjunction. It was a bit cloudy over here but I managed to get a glimpse of the event between the clouds. The scene was already impressive with the naked eye but the view through the eyepiece was absolutely amazing! It's not everyday that one can see the belts of Jupiter and the craters on the Moon in the same field of view! The biggest planet in the Solar System and the biggest object in the night sky side by side. A Christmas to remember!

Fullsize: http://img819.imageshack.us/img819/3060/conjuctionmoonjuprv6cs6.jpg

Taken with SkyWatcher 80ED f/7.5 and Canon 1000D, 1/60s, ISO100. 26/December/2012 around 00h05 UT. From Vieira do Minho, Braga, Portugal.

Blog: AstroWaves - Waves of Stars | 26 Dec 2012, 9:59 pm

"Blue Moon" selected for LPOD! (23/Dec/2012)

Dear friends,
I am glad to announce that my image of the fenomenon "Blue Moon" was selected to LPOD (Lunar Photo Of the Day) on the December 23rd. It is the 3rd image of mine selected for LPOD by Charles Wood.

"Charles Wood, a former NASA scientist who had studied the Moon and writes a monthly lunar column for Sky & Telescope, proposed starting the LPOD as an adjunct to his NASA-funded web site www.observingthesky.org. (...)
LPOD is based on the very successful Astronomy Picture of the Day, which contains a wonderful picture and brief caption each day with links for further information. APOD is viewed by millions of people around the world. It has sparked a wider interest in astronomy and the new understanding that comes with the beautiful images. (...)
All of these PODs provide an easy and quick way for astronomers - both amateur and professional - and the general public to stay in touch with emerging science and be awed by the beauty of the cosmos." - from LPOD website.

Permanet link: http://lpod.wikispaces.com/December+23%2C+2012

Blog: AstroWaves - Waves of Stars | 26 Dec 2012, 4:48 pm

Chegou à Lua…! :D

Mais uma imagem espectacular!

http://www.flickr.com/photos/sculptorlil/8241356720/in/pool-universetoday


Blog: Astronomia Para Todos | 5 Dec 2012, 2:35 pm

It's been a while...

...since I took my SPC900NC out of the box for some Solar System imaging. One day before opposition, I caught the King of Planets and two of its wonderful moons. The telescope wasn't properly collimated and seeing was poor...nevertheless, I am glad I spent a couple of hours outside looking through the eyepiece and to the screen with Jupiter dancing in the turbulence.
Note: It was freeeezzziiiiiinnngggg COLD! x)

(click on the image to enlarge)

Orion 8" reflector @f/10 and SPC900NC. Processed in AS!2+CS6. 23:14 UT, 1/Dec/12.

I found this apropied in this post: It's Been A While - Staind. xD

Blog: AstroWaves - Waves of Stars | 2 Dec 2012, 4:03 pm

INFORMAÇÃO


O Planetário do Porto encontra-se encerrado nos dias 
24, 25 e 31 de dezembro e 01 de janeiro.

Blog: Planetário do Porto (blogue ENCERRADO) | 21 Nov 2012, 12:10 pm

O “lado negro” da Lua…! :)

Crédito: http://www.ufrgs.br/frontdaciencia/imagens/dark_side_moon.jpg


Blog: Astronomia Para Todos | 20 Nov 2012, 4:01 pm

Leónidas (espectacular)

Fica aqui um vídeo espectacular das Leónidas!

Crédito: Trevor Durity


Blog: Astronomia Para Todos | 20 Nov 2012, 2:51 pm


Revista Time Out - Porto - novembro de 2012.

Blog: Planetário do Porto (blogue ENCERRADO) | 6 Nov 2012, 6:54 pm

Vai uma voltinha pelo Valles Marineris?

Vale a pena ver este vídeo fantástico da ESA!

 


Blog: Astronomia Para Todos | 24 Oct 2012, 6:36 pm

Mais uma maravilha

Mais uma imagem espectacular do Miguel Claro!

 

Crédito: Miguel Claro

Veja o artigo completo.


Blog: Astronomia Para Todos | 24 Oct 2012, 6:24 pm

Mapa de Ganimedes criado por astrónomo amador

O astrónomo amador Emmanuel I. Kardasis criou o primeiro mapa (albedo) de Ganimedes! Vale a pena ver o artigo.

 

Crédito: Manos Kardasis


Blog: Astronomia Para Todos | 28 Sep 2012, 4:55 pm

Não é filme…!

Mais uma foto espectacular! Neste cenário que mais parece de filme, vê-se o Endeavour a voar por cima do célebre ícone de Hollywood!

 

Crédito: Sam Veta


Blog: Astronomia Para Todos | 26 Sep 2012, 6:39 pm

Uma bolha…! :)

Aqui fica uma imagem espectacular da Abell 39, uma nebulosa planetária que se encontra na constelação de Hércules, a cerca de 7000 anos-luz!

 

Crédito: Adam Block/Mount Lemmon SkyCenter/University of Arizona


Blog: Astronomia Para Todos | 26 Sep 2012, 6:35 pm

Today's EPOD - 19/Sep/2012

A minha fotografia nas Grutas de Sto António foi seleccionada para ser EPOD ( Earth Science Picture of the Day) de hoje, pelo Dr. James Foster da NASA's Earth Science Division. Espero que gostem!

http://epod.usra.edu/blog/2012/09/santo-antonio-caves-in-portugal.html

Blog: AstroWaves - Waves of Stars | 19 Sep 2012, 4:59 pm

REABRIU


O Planetário do Porto já reabriu, agora neste horário:


Período Escolar
Durante a semana: sessões para escolas por marcação às 10h00, 11h00, 14h30 e 15h30.
Sábados e feriados: sessão "O Vítor à descoberta do sistema solar" às 15h00 / sessão "Visões do Cosmos" às 16h00.
Domingos: encerrado.

Blog: Planetário do Porto (blogue ENCERRADO) | 17 Sep 2012, 7:29 pm

Árvores arrancadas para passar o vaivém Endeavour ?

A notícia pode ser dada de duas formas. Ambas dão os factos: a 20 de Setembro de 2012, o vaivém Endeavour chegará ao aeroporto de Los Angeles e terá que ser levado, pela rua, até ao Centro de Ciências da Califórnia – onde ficará lá para sempre, em exposição. O vaivém é enorme: 77 toneladas …

Continue a ler »

Blog: Blog de Astronomia do astroPT | 5 Sep 2012, 5:14 pm

Curiosity pousa na vida

Um cartoon engraçado sobre o rover Curiosity procurar vida em Marte…

Blog: Blog de Astronomia do astroPT | 5 Sep 2012, 3:52 pm

Sobrevoando as encostas do monte Sharp

Estão certamente ansiosos por verem de perto as encostas do monte Sharp. Que tal uma visita virtual aos caminhos que o robot Curiosity irá percorrer?   A encosta noroeste do monte Sharp numa animação criada com modelos topográficos tridimensionais e imagens da NASA. Crédito: Adrian Lark (animação)/NASA /JPL/UA (dados topográficos e imagens). Criada pelo britânico …

Continue a ler »

Blog: Blog de Astronomia do astroPT | 5 Sep 2012, 2:24 pm

Sol e Terra

Vejam esta imagem do Sol, feita pelo “nosso” João Cruz, no passado dia 2 de Agosto de 2012. Em computador, ele adicionou o planeta Terra, para se ter uma pequena ideia das impressionantes escalas envolvidas.

Blog: Blog de Astronomia do astroPT | 4 Sep 2012, 10:37 pm

Boletim Em Órbita n.º 127 – Agosto de 2012

Está já disponível para leitura on-line ou download a mais recente edição do Boletim Em Órbita. Nesta edição podemos encontrar vários artigos relativos aos lançamentos orbitais não tripulados efectuados em Julho de 2012.

Blog: Blog de Astronomia do astroPT | 4 Sep 2012, 10:24 pm

NASA lança sondas para o estudo do tempo espacial

A ULA (United Launch Alliance) levou a cabo com sucesso o lançamento das duas sondas RBSP (Radiation Belt Storm Probes) para a NASA. O lançamento teve lugar às 0805:27UTC do dia 30 de Agosto de 2012 a partir do Complexo de Lançamento SLC-40 do Cabo Canaveral AFS, Florida. O lançamento foi executado pelo foguetão Atlas-V/401 …

Continue a ler »

Blog: Blog de Astronomia do astroPT | 4 Sep 2012, 10:20 pm

Zenit-3SL/DM-SL lança Intelsat-21

Um foguetão Zenit-3SLB/DM-SL levou a cabo o lançamento do satélite de comunicações Intelsat-21 às 0654:59UTC do dia 19 de Agosto de 2012. O lançamento teve lugar desde a Plataforma Odyssey localizada a 153º longitude Oeste no equador no Oceano Pacífico. O satélite Intelsat-21 transporta 24 repetidores de banda C e 36 repetidores de banda Ku. …

Continue a ler »

Blog: Blog de Astronomia do astroPT | 4 Sep 2012, 10:17 pm

Missões no Sistema Solar

Feita por Olaf Frohn e publicada pela Planetary Society (melhor resolução, aqui), vejam esta imagem com as missões robóticas humanas actualmente em trabalho no nosso Sistema Solar. Está actualizada para o dia 31 de Agosto de 2012. Já não se vê, por exemplo o rover Spirit, que encalhou em Marte. Mas é impressionante a quantidade …

Continue a ler »

Blog: Blog de Astronomia do astroPT | 4 Sep 2012, 9:46 pm

Luas no Sistema Solar

Sabiam que existem pelo menos 171 luas no nosso Sistema Solar ?

Blog: Blog de Astronomia do astroPT | 4 Sep 2012, 9:22 pm

Lua azul apareceu para Armstrong

Neil Armstrong faleceu no passado dia 25 de Agosto. A chamada Lua Azul apareceu no dia 31 de Agosto, e só irá aparecer novamente daqui por 3 anos. Pode-se então dizer que a Lua Azul só apareceu para o funeral de Neil Armstrong, para o homenagear.

Blog: Blog de Astronomia do astroPT | 4 Sep 2012, 8:08 pm

Blue Moon

Canon 1000D, 250mm, 1/200s, f/5.6, ISO100.
 
"Ontem (31 de agosto de 2012) foi dia de Lua “Azul”, mas o nosso satélite natural não ficará, de facto, com cor azul.
Este nome serve apenas para designar a segunda Lua Cheia que ocorre no mesmo mês, algo se só se repete a cada 2 ou 3 anos. Isto porque o período sinódico da Lua (isto é, o tempo entre duas Luas Cheias consecutivas) é de 29,5 dias. Por isso uma Lua “Azul” só pode ocorrer em meses de 30 ou 31 dias (nunca em fevereiro), e a primeira tem de ocorrer no dia 1 ou 2 desse mês.
Esta definição de Lua “Azul” só começou a ser usada em 1946, já que a definição mais antiga definia a Lua “Azul” como a terceira de quatro Luas Cheias na mesma estação do ano (normalmente, por causa do período sinódico, só há 3 Luas Cheias em cada estação).
A raridade das luas azuis está na origem da expressão anglófona “Once in a Blue Moon” (traduzido literalmente, “uma vez a cada Lua azul”, o que significa um acontecimento raro).
A Lua “Azul” seguinte ocorrerá no dia 31 de julho de 2015."
 
Fonte: http://www.astro.up.pt/divulgacao/index.php?WID=461&CID=1&ID=209&Lang=pt

Canon 1000D, 146mm, 1/50s, f/5, ISO800. 
Composição em HDR

Blog: AstroWaves - Waves of Stars | 1 Sep 2012, 1:50 pm

Manutenção

O Planetário do Porto estará encerrado para manutenção 
a partir de amanhã, 1 de Setembro, até dia 15, inclusive. 

Blog: Planetário do Porto (blogue ENCERRADO) | 31 Aug 2012, 6:09 pm

Lua Azul | Blue Moon

Ao contrário do que muitas pessoas imaginam, a Lua Azul não é nenhum fenómeno cromático na Lua. O termo Lua Azul, é utilizado para nos referirmos à segunda Lua Cheia que ocorre num mesmo mês. Este fenómeno acontece uma vez a cada 2 ou 3 anos. As últimas luas azuis ocorreram a 31 de maio de 2007 e 31 de dezembro de 2009. A próxima lua azul deverá ocorrer já no próximo dia 31 de Agosto de 2012 e as seguintes em Julho de 2015, Janeiro e Março de 2018, Outubro de 2020, Agosto de 2023, Maio de 2026, Dezembro de 2028…

Isto deve-se ao facto do ciclo lunar ser de 29,5 dias, o que torna perfeitamente possível que num determinado mês  a sua fase se apresente cheia por duas vezes. Fevereiro é o único mês que não pode ter a Lua Azul, mesmo em anos bissextos. Pode acontecer mesmo existir um ano em que não haja Lua Cheia no mês de fevereiro, nesses anos, acontece uma Lua Cheia no final de janeiro e a outra no início de março, ou seja 2 Luas Azuis no mesmo ano, em janeiro e março. Isto ocorre em média a cada 35 anos.

A Lua Cheia acontece simultaneamente em todos os pontos do globo e para todos os países, mas nem o horário nem a data são iguais. Por exemplo: uma noite do dia 31 de agosto na Europa já é a manhã do dia 1 de setembro na Nova Zelândia. Então se acontecesse uma Lua Azul no dia 31 de agosto para um país na Europa, não seria Lua Azul no dia primeiro na Nova Zelândia, que iria ocorrer no final do mês de setembro.

De acordo com alguns historiadores, o termo Lua Azul foi criado no século XVI, devido ao facto de que algumas pessoas, ao observar a Lua, a viram azulada. No entanto, outras viam-na cinza. Muitas discussões ocorreram até se concluir que era impossível a Lua ser azul. Esse facto criou uma espécie de expressão linguística, e “Lua Azul” passou a ser sinónimo de algo impossível ou difícil. O termo ganhou força principalmente nos EUA e algumas frases como “só me caso contigo se a lua estiver azul” ou “…a cada Lua Azul…” foram rapidamente popularizadas.

Foi com esse significado que o termo foi usado para designar duas luas cheias que ocorrem no mesmo mês, um evento raro.

A primeira menção à Lua Azul surge num panfleto escrito em inglês que dizia:”If they say the moon is blue, we must believe that it is true”. Algo como “Se eles dizem que a lua é azul, nós devemos acreditar que isso é real”.

Historicamente, a lua azul era a terceira lua cheia que acontecia num quarto de ano em que houvesse quatro luas cheias. Normalmente, um quarto do ano tem 3 Luas Cheias. Sendo esses quartos de ano iniciados entre os dias 20 e 21 ou 21 e 22 de março (devido aos anos bissextos) coincidentes com a data do equinócio.

Um erro de publicação numa época mais recente (1946) fez entender que a lua azul seria a segunda lua cheia que acontecesse num mesmo mês. Mesmo depois de descoberto o erro, como é mais fácil de se entender essa definição do que a outra, mais complicada, ficou popularizada a segunda teoria.

Existem alguns registos raros onde a coloração do nosso satélite foi realmente alterada. Um desses registos remonta a 1883, quando uma violenta erupção no vulcão Krakatoa, na Ilha de Java, Indonésia, lançou ao espaço milhões de toneladas de gases e poeira, fazendo com que a Lua, quando observada próxima ao horizonte, fosse vista em tons azulados. De acordo com os relatos, isso durou aproximadamente dois anos e foi testemunhado em todo o planeta.

Em 1951, um grande incêndio nas florestas canadenses produziu o mesmo efeito que o Krakatoa, mas só pôde ser observado na América do Norte.

À semelhança de muitos outros fenómenos astronómicos, este também aparece frequentemente em filmes, músicas, livros, entre outras publicações. Exemplo disso é o filme dos “Smurfs” onde durante a Lua azul há a abertura dum portal que liga a terra dos smurfs a nova Iorque, ou a balada “Blue Moon” composta por Richard Rodgers e Lorenz Hart, mais tarde eternizada pelos mais variados artistas, como: Billie Holiday, Nat King Cole, Frank Sinatra, Elvis Presley ou Rod Stewart.

Fica aqui uma boa sugestão para servir de banda sonora para a próxima noite de Lua Azul :)

 

 

http://www.youtube.com/watch?v=Md7a9ZH1Z0M

http://www.youtube.com/watch?v=CeoYI9VOlIE


Filed under: Curiosidades | Astronomia, Sites de interesse, Temas e textos do autor

Blog: Ano Internacional da Astronomia | 2009 | 28 Aug 2012, 6:22 pm


Revista Lux - 20 de Agosto de 2012
Para ler, por favor clicar sobre a imagem.
Para confirmar o horário das sessões, visite a nossa página em www.fcd-porto.pt

Blog: Planetário do Porto (blogue ENCERRADO) | 28 Aug 2012, 4:17 pm

Já viu Marte do tamanho da LUA?

Desde 2003 que várias pessoas nos questionam nas sessões de Astronomia no Verão, o que é “aquilo do planeta Marte ficar do tamanho da Lua no dia 27 de Agosto?” ou “o que vai acontecer no dia 27 de Agosto?”.

Hoje, aproveito para desmistificar e explicar esse “fenómeno do Super Marte”…

Quando essa pergunta vem à baila, a resposta é: “Isso é tudo mentira!”

Há anos em que o planeta Marte nem está visível durante as noites de Agosto, e outros em que aparece mas como se fosse um pontinho de luz muito ténue, e a sua distância à Terra vai continuar a ser muito grande (hoje a 266 528 463 quilómetros).

Hoje (27 Agosto de 2012), e durante os próximos dias, Marte ainda aparecerá no céu desde o início da noite até às 22h (com Magnitude de: 1,18) e será apenas mais um pontinho luminoso quase desprezível.
Actualmente, no início da noite poderemos ver Marte e Saturno a poente (Oeste) mas por poucos minutos. Durante toda a noite estará visível a Lua na fase de quarto crescente e quando forem 00h40, um ponto mais brilhante aparecerá a nascente (Este) com magnitude de -2.16 – é o planeta Júpiter. Às 3h20 aparecerá um ponto ainda mais brilhante, com magnitude de -4,12 – é o planeta Vénus. Estes são e serão sempre os dois astros mais luminosos no céu, além do Sol e da Lua, obviamente.


Esta mensagem que circula via e-mail, refere que o planeta Marte será o mais brilhante no céu nocturno durante todo o mês de Agosto, e que é possível observa-lo a olho nu como se fosse do tamanho da nossa Lua, especialmente no dia 27, altura em que supostamente vai estar mais próximo da Terra. Nesta mensagem, dizem também que este fenómeno será particularmente visível pelas 00h30 e que só se irá repetir novamente em 2287.

Esta mentira, tem causado algumas confusões e até algum pânico junto das pessoas menos familiarizadas com a Astronomia.

As aproximações de Marte à Terra, ocorrem de 2 em 2 anos, mas mesmo assim, existem umas que são maiores que outras. Esta variação é devido à grande excentricidade da sua órbita, sendo que as maiores aproximações entre este planeta e a Terra ocorrem em períodos de cerca de 15 anos.

Contudo, o valor dessa distância é variável e por vezes acontecem recordes, como sucedeu a 27 de Agosto de 2003.

Mesmo quando o disco de Marte aparece em condições ideais, como naquela data, a olho nu este planeta aparece apenas com cerca de duas vezes o tamanho habitual, ou seja, ao lado da Lua, Marte parece sempre uma simples estrela. Para Marte se ver como uma a nossa Lua, teria de estar ampliado cerca de 75 vezes, o que só é possível quando observado por um bom telescópio.

Em virtude da grande propaganda que aconteceu em 2003, e por vezes com informação errada e sensacionalista, a partir dessa data começou a espalhar-se este e-mail durante todos os anos por altura do Verão.

Se alguma vez voltarem a ver este e-mail, já sabem… Isso é tudo mentira!


Filed under: Curiosidades | Astronomia, Divulgação nas escolas, Imagens, Missões, Sites de interesse

Blog: Ano Internacional da Astronomia | 2009 | 27 Aug 2012, 6:53 pm

Morreu Neil Armstrong

Às 20 horas em Portugal, Jay Barbree anunciou na cadeia de televisão americana MSNBC – sendo seguido por Lester Holt e Brian Williams na NBC News com um programa especial sobre o assunto – que Neil Armstrong morreu.
Neil Armstrong foi o primeiro ser humano a caminhar na Lua, após ter pousado com segurança o módulo lunar, na missão Apollo 11.

O evento histórico deu-se a 20 de Julho de 1969.
Uma das frases mais marcantes da história humana é dele, quando pisava a Lua: “Um pequeno passo para o Homem, um passo gigantesco para a humanidade.”
Armstrong tinha sido operado ao coração no início de Agosto, para aliviar uma artéria que estava bloqueada.
Faleceu devido a complicações relacionadas com essa operação.
Neil Armstrong morreu hoje, às 2:45pm, hora de Nova Iorque (19:45, hora de Lisboa).
Faleceu aos 82 anos.
Os heróis não morrem. Armstrong será recordado para todo o sempre, enquanto existir Humanidade. Foi o primeiro a dar o “grande passo”. Foi o primeiro Humano a colocar um pé num corpo espacial que não a Terra.

http://video.msnbc.msn.com/nightly-news/48796515

post original: http://astropt.org/blog/2012/08/25/morreu-neil-armstrong

Filed under: Divulgação nas escolas, Missões, Sites de interesse

Blog: Ano Internacional da Astronomia | 2009 | 27 Aug 2012, 6:43 pm

Martian triangle and the Moon at the beach

I returned to the beach after the Sun went down to capture this awesome conjuction: Moon plus the "Marian triangle" formed by Mars, Saturn and Spica. The view at the beach was breathtaking! Canon 1000D, 30 sec, 400 ISO at Manta Rota, Algarve, Portugal in August 22th, 2012 at 22 pm.

 
 

Blog: AstroWaves - Waves of Stars | 23 Aug 2012, 4:00 am

O Cometa

Fecho com um livro. Um livro que li há muito, quando passou por aí um certo cometa. É um livro velho como eu, gasto pelo tempo, pela usura dos dias. Mas ainda diz qualquer coisa. Ainda brilha na memória do tempo. Ainda faz vibrar qualquer coisa no íntimo de nós. Ainda o guardo como uma velharia. Mas já pouco me diz. Já passou à história. Como o cometa que lhe deu origem.


Blog: Radiante | 16 Aug 2012, 4:07 am

Estrelas e Ouriços

Estrelas e Ouriços

O magazine/agenda para famílias destaca as nossas sessões. Por favor clique no link acima.

Blog: Planetário do Porto (blogue ENCERRADO) | 12 Jul 2012, 7:50 pm

Gigante internacional dos satélites comerciais assina contrato com a SpaceX

A Intelsat, o maior operador mundial de satélites de telecomunicações, assinou um contrato com a SpaceX com vista à utilização do futuro foguetão Falcon Heavy para colocar satélites em órbita.

Este primeiro contrato comercial surge na sequência do êxito, já praticamente garantido, da primeira missão levada a cabo pela Space X, empresa norte-americana, que consistiu em efectuar o transporte de carga para a Estação Espacial Internacional (ISS).

Recorde-se que, na semana passada, um foguetão Falcon 9 da Space X colocou em órbita uma cápsula Dragon da mesma empresa e que a seguir a cápsula conseguiu acoplar-se à ISS. Esta estreia absoluta por parte de uma empresa privada, realizada ao abrigo de um contrato multimilionário com a agência espacial norte-americana NASA, deverá terminar nos próximos dias, quando a Dragon for recuperada pela SpaceX no oceano, a umas centenas de quilómetros ao largo da Califórnia.

O Falcon Heavy é uma versão mais potente do Falcon 9, que está a ser construída e deverá fazer o seu voo de teste inaugural em 2013.

in Publico.pt (ver noticia original aqui)

Blog: Ano Internacional da Astronomia | 2009 | 30 May 2012, 9:28 pm

Revista Time Out

Maio 2012

Blog: Planetário do Porto (blogue ENCERRADO) | 4 May 2012, 5:22 pm


Revista LUX - Crianças - 1 de Abril de 2012
Para ler por favor clicar sobre as imagens. Obrigada. 

Blog: Planetário do Porto (blogue ENCERRADO) | 3 May 2012, 12:50 pm

O mistério do desaparecimento da LUNA-23!

Imagens recentes da sonda lunar norte-americana Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO) permitiram esclarecer um mistério com mais de 40 anos sobre o que teria acontecido à sonda lunar soviética Luna-23.

A Luna-23, que pesava 5,302 kg, foi lançada às 14h30/14h32 UTC no dia 28 de Outubro de 1974 por um foguetão Proton-K/D a partir da Plataforma de Lançamento PU-24 do Complexo de Lançamento LC81 do Cosmódromo de Baikonur. A sua missão era a de recolher amostras da superfície lunar no Mare Crisium e trazê-las de volta para a Terra. No entanto, um problema então desconhecido levou à perda de contacto com a sonda três dias após a alunagem e sem esta ter conseguido realizar as suas tarefas na superfície da Lua. Esta missão só viria a ser concretizada pela Luna-24 em 1976.

As imagens agora obtidas pela LRO mostram que a Luna-23 terá tombado sobre um dos seus lados, impedindo assim a finalização com sucesso da sua missão. Na imagem é visível o módulo de regresso à Terra ainda no topo da sonda. Outras imagens mostram também a sonda Luna-24 que lançada a 9 de Agosto de 1976 iria alunar a cerca de 2 km da Luna-23 e realizar a sua missão,colocando também um ponto final no programa de exploração lunar não tripulado da União Soviética.

Imagem: NASA/Goddard/Arizona State University

Ver mais sobre o programa soviético LUNA em: http://www.friends-partners.org/partners/mwade/project/luna.htm


Filed under: Curiosidades | Astronomia, Imagens, Missões, Sites de interesse

Blog: Ano Internacional da Astronomia | 2009 | 6 Apr 2012, 6:22 pm

Aurora austral entre a Antártida e a Austrália

O Astronauta holandês Andre Kuipers tirou esta foto no passado dia 10 de Março à aurora austral que, neste caso, é visível entre a Antártida e a Austrália (as auroras no hemisfério norte da Terra são chamadas de auroras boreais).

A imagem mostra ainda partes da ISS (Estação Espacial Internacional). Esta foto foi divulgada pela NASA (agência espacial americana) nesta terça feira (13 Março).

O fenómeno de luzes de cores distintas é causado pela interação de ventos e poeira solar e o campo magnético terrestre.

Imagem da aurora austral, que ilumina o céu no sul do planeta, tirada pelo astronauta da estação espacial, Andre Kuipers.

Andre Kuipers/Reuters

Notícia adaptada de Folha.com (ver notícia original aqui)

Filed under: Curiosidades | Astronomia, Imagens, Missões, Sites de interesse, Temas e textos do autor

Blog: Ano Internacional da Astronomia | 2009 | 14 Mar 2012, 9:42 pm

Tempestade Solar | Março 2012

Uma enorme nuvem de partículas electromagnéticas proveniente do Sol foi libertada no dia 7 de Março e chego ontem à Terra. Estas tempestades podem perturbar o funcionamento normal de comunicações via satélite, sistemas GPS e redes de distribuição de electricidade. Alguns voos comerciais foram mesmo ser condicionados, adiados ou usaram rotas alteradas.

As partículas carregadas que chegaram ao nosso planeta, foram expelidas pelo Sol no início desta semana, à velocidade de 7,2 milhões de quilómetros por hora, devido a uma tempestade solar que, de acordo com um responsável da National Oceanic and Atmospheric Administration (NOAA) ouvido pela agência britânica Reuters, será a mais forte dos últimos seis anos, mais forte ainda que a tempestade ocorrida e noticiada em finais de Janeiro deste ano.

“É provavelmente o maior evento do género em seis anos e talvez seja mais intenso do que a tempestade semelhante ocorrida no fim de Janeiro”, afirmou Joseph Kunches, especialista da NOAA, em declarações à Reuters. A NOAA é uma agência estatal norte-americana que faz parte do Departamento de Comércio e que se ocupa dos temas relacionados com a atmosfera e os oceanos, emitindo informação sobre meteorologia, mares e recursos costeiros, por exemplo.

O impacto da tempestade, que teve início na terça-feira, teve o pico ontem durante a tarde, embora o mesmo especialista da NOAA refira que um acontecimento desta natureza pode ser definido por três fases separadas: uma primeira, constituída por raios solares que viajam quase à velocidade da luz e que já chegaram à Terra na terça-feira, podendo ter provocado quebras nas comunicações via rádio; um segundo momento, constituído pela chegada de radiação solar ao campo magnético da Terra, que pode ter tido impacto na aviação, sobretudo nas trajectórias mais perto dos pólos (esta fase pode durar dias); e finalmente a terceira fase, que se nota desde ontem, que se explica pela chegada à Terra da massa carregada de partículas e ejectada pelo Sol e que é, no fundamental, um grande bocado da atmosfera deste astro.

Outro responsável da NOAA, Doug Biesiecker, disse à Reuters que não são de esperar alterações no funcionamento de sistemas GPS utilizados para funções menos refinadas, como aqueles que são usados por condutores.

A nuvem electromagnética poderá chegar um pouco antes do tempo devido ao facto de ela seguir o mesmo caminho da que foi expelida anteriormente. “Quando já houve uma coroa de massa ejectada, por vezes isso acelera a viagem da nuvem seguinte”, refere Kunches, acrescentando que estas tempestades podem dar origem a auroras vívidas. No hemisfério Norte, as auroras boreais poderão ser visíveis a latitudes médias.

A origem destas tempestades são manchas solares enormes, regiões que podem ser maiores do que a Terra. A frequência das tempestades solares tem vindo a aumentar, dado que o Sol se encontra na fase ascendente do seu ciclo de actividade, que é de 11 anos. O pico dessa actividade é esperado para 2013.

 


Filed under: Curiosidades | Astronomia, Imagens, Missões, Temas e textos do autor

Blog: Ano Internacional da Astronomia | 2009 | 9 Mar 2012, 1:13 pm

Darwin aos tiros

Só há pouco tempo é que tive oportunidade de comprar o livro do Carlos Fiolhais e do David Marçal, que saiu no ano passado, mas que já vai em 2ª edição. É um livro de histórias de ciência em que os autores com o seu humor dão uma abordagem curiosa e interessante a uma grande variedade de temas. O livro abrange várias ciências e obviamente que gostei de ler a parte da astronomia, embora fossem histórias conhecidas. Mas no geral é um bom livro de divulgação científica e não admira que já esteja em 2ª edição.

Reparei, no entanto, na parte que conheço, em alguns erros a corrigir na 3ª edição

Pág. 32 – Carl Sagan não morreu a 20 de Dezembro de 93, mas sim de 96

Pág. 42 – Ao contrário do que diz o livro, von Braun não foi preso por tropas americanas e levado à força para o outro lado do Atlântico, na verdade, ele entregou-se voluntariamente aos americanos, para não ser capturado pelos russos e foi por opção própria para os EUA.

Na mesma página diz que a ideia da ida do homem à Lua foi de Korolev. Bem, a ideia do homem ir à Lua é antiga, mas a forma como foi concretizada e o esquema da viagem deve-se obviamente aos americanos e a John C. Houbolt de Langley, que concebeu o método LOR (lunar-orbit rendezvous), fundamental na abordagem lunar. Korolev nunca desempenhou qualquer papel relevante nisto. Agora, a concepção LOR não era original de Houbolt, mas sim de um mecânico russo chamado Yuri Vasilievich Kondratyuk, que calculou em 1916-17 que o LOR era o melhor meio de conseguir uma descida na Lua com a conservação máxima de propulsante. Oberth também discutiu as possibilidades do LOR em 1929 e Harry Ross da British Interplanetary Society, actualizou as ideias de Kondratyuk em 1948. Portanto, mais uma vez, Korolev não tem qualquer papel em nada disto (ver “Chegamos à Lua!” de John Noble Wilford, Edição Livros do Brasil, 1970).

Pág. 47 – As Voyager não transportam uma placa, como diz o livro, mas sim um disco.


Blog: Radiante | 2 Mar 2012, 11:38 am

Planeta com mais água que na Terra!

Telescópio Hubble descobre nova classe de planetas com mais água que a Terra.

Astrónomos confirmaram a existência de um planeta diferente de todos os conhecidos até agora e que terá mais água que a Terra. O GJ1214b, a 40 anos-luz do nosso planeta, foi descoberto pelo telescópio espacial Hubble.

O GJ1214b, mais pequeno que Urano e maior que a Terra, é descrito como um “mundo de água” distante, envolvido numa espessa atmosfera de vapor de água, segundo um estudo que foi aceite para publicação na revista Astrophysical Journal.

“Uma grande quantidade da sua massa é feita de água”, disse em comunicado o astrónomo Zachory Berta, do Centro de Astrofísica Harvard-Smithsonian, que coordenou a equipa internacional de investigadores. “O GJ1214b é diferente de todos os planetas que conhecemos.”

O GJ1214b, a 40 anos-luz da Terra, foi descoberto em 2009 por uma equipa liderada por David Charbonneau que trabalhou com uma série de oito telescópios, no estado norte-americano do Arizona. No ano seguinte, uma outra equipa de cientistas, coordenada por Jacob Bean, tinha descoberto que a atmosfera do planeta poderia ser composta maioritariamente por água.

Agora os investigadores conseguiram confirmar detalhes sobre a atmosfera deste planeta, através da observação de imagens conseguidas pelo telescópio espacial Hubble. De acordo com a NASA, o GJ1214b tem 2,7 vezes o diâmetro da Terra e uma massa quase sete vezes maior. O planeta completa uma órbita em volta de uma estrela anã vermelha a cada 38 horas, a uma distância de dois milhões de quilómetros. Os cientistas estimam que a temperatura à sua superfície seja de 230º C.

Como a massa e o tamanho do planeta são conhecidos, os cientistas podem calcular sua densidade: apenas dois gramas por centímetro cúbico. A água, por exemplo, tem densidade de um grama por centímetro cúbico, enquanto a densidade média da Terra é de 5,5. Isso sugere que o GJ1214b tem muito mais água que a Terra e muito menos rocha. Por isso, a estrutura interna do planeta seria “extraordinariamente diferente” em relação à Terra. “As elevadas temperaturas e as elevadas pressões podem formar materiais exóticos como ‘gelo quente’ e ‘água superfluída’, substâncias que são completamente estranhas à nossa experiência do dia-a-dia”, comentou Zachory Berta.

Os teóricos acreditam que o GJ1214b se começou a formar longe da sua estrela, onde o gelo era abundante, e que depois se aproximou, passando pela zona onde as temperaturas à superfície seriam semelhantes às da Terra. Os cientistas não sabem dizer quanto tempo ele teria ficado nesta posição.

Este planeta é um forte candidato para ser objecto de estudo do telescópio espacial James Webb, que deverá ser lançado em 2018.

in publico.pt (ver notícia aqui)

Filed under: Curiosidades | Astronomia, Missões, Sites de interesse

Blog: Ano Internacional da Astronomia | 2009 | 24 Feb 2012, 6:25 pm


Notícia publicada na revista Sábado, dia 23 de Fevereiro de 2012.


Atenção: esta notícia não está correta. 
Este laboratório está disponível apenas para grupos escolares 
e os preços não são estes.
Para mais dados por favor visitar o nosso site: www.fcd-porto.pt . Obrigado

Blog: Planetário do Porto (blogue ENCERRADO) | 23 Feb 2012, 3:47 pm

Vega lançado com sucesso

O foguetão europeu Vega foi lançado com sucesso nesta segunda-feira de manhã, às 10 horas (hora de Lisboa), a partir da base espacial de Kourou, na Guiana Francesa, e colocou nove satélites em órbita. O novo modelo completa a família de foguetões europeus junto com o Ariane 5 e com o Soyuz russo.

O Vega foi desenhado para carregar para o espaço satélites pequenos que a Agência Espacial Europeia (ESA, sigla em inglês). O foguetão de 30 metros foi desenhado para levar várias cargas com um peso total entre os 300 quilos e 2,5 toneladas a órbitas que fiquem entre os 300 e os 1500 quilómetros de altitude.

“Um novo membro da família dos foguetões nasceu”, disse Jean-Jacques Dordain, director geral da ESA, onde estão representados 19 países. “Temos o Ariane, o Soyuz e o Vega, uma bela família”, disse, dando depois os parabéns à Itália, que foram os grandes responsáveis pelo projecto. “Fatto!”, disse, o que em italiano significa “Feito!”. O lançamento durou 81 minutos, tempo suficiente para testar a máquina e colocar os vários satélites a girar à volta da Terra.

À Europa, faltava um foguetão que levasse as cargas menos pesadas. O Ariane 5 consegue carregar um peso total de 20 toneladas e o foguetão russo Soyuz é capaz de levar um peso intermédio.

“Vega vai ser extremamente importante para o Arianespace porque em poucos anos vai ser o único foguetão no mercado com a sua capacidade”, disse Jean-Yves Le Gall, responsável pela Arianespace, a empresa que comercializa as naves da ESA.

O foguetão, que tem o nome da segunda estrela mais brilhante do Hemisfério Norte, custou 776 milhões de euros, 60% do financiamento foi coberto pela Itália. É fino e leve, e para colocar os satélites no espaço foi desenhado com quatro compartimentos diferentes para o combustível. Três têm combustível sólido, que se vão libertando durante a subida à medida que são gastos. O quarto tem um fornecimento de combustível líquido, o que permite ao veículo chegar à órbita correcta através de empurrões.

Ciência e Einstein

Até agora, a ESA estava dependente dos russos para colocar pequenas cargas no espaço, o que normalmente corresponde a satélites de observação da Terra. Estas pequenas cargas eram lançadas em mísseis nucleares que foram convertidos. Muitas vezes as equipas europeias tinham que esperar algum tempo pela janela de oportunidade de lançamento, atrasando as experiências e deixando o dinheiro de fora do círculo da ESA.

Mas a mudança começou nesta manhã. Vega já transportou vários satélites que vão fazer ciência. O Lares (Laser Relativity Satellite), desenvolvido pela Agência Espacial Italiana, de 400 quilos, vai observar o fenómeno derivado da teoria da relatividade Einstein e que se chama efeito de Lense-Thirring. Este efeito diz que a Terra, no seu movimento de rotação, arrasta consigo o tempo e o espaço à volta. O Lares foi colocado a 1450 quilómetros de altitude, 55 minutos depois do lançamento de Vega.

O outro grande satélite, AlmaSat-1, vai testar novas tecnologias terrestres. Os restantes aparelhos são pequenos cubos com um quilo, desenvolvidos por Universidades europeias para missões científicas independentes.

Veja um video do projecto “Vegaaqui

in Publico.pt (ver notícia original aqui )

Filed under: Curiosidades | Astronomia, Missões, Sites de interesse

Blog: Ano Internacional da Astronomia | 2009 | 13 Feb 2012, 6:18 pm

Revista Time Out Porto


Time Out Porto - Fevereiro de 2012. 
Para ler por favor clciar sorbe a imagem. Obrigada. 

Blog: Planetário do Porto (blogue ENCERRADO) | 1 Feb 2012, 3:28 pm

Mais duas luas em Júpiter

A União Astronómica Internacional (IAU) emitiu um boletim onde dava conta da descoberta de novos satélites no gigante gasoso, Júpiter.

Este planeta, que contava já com uma colecção de 65 satélites naturais, vê agora este número elevando para 67.

Veja aqui o telegrama enviado por Daniel Green, director da “Central Bureau for Astronomical Telegrams”


Filed under: Curiosidades | Astronomia, Imagens, Missões, Sites de interesse, Temas e textos do autor

Blog: Ano Internacional da Astronomia | 2009 | 31 Jan 2012, 8:07 pm

O Céu á Noite (Petição)

Começámos como um grupo de estudantes da Universidade Aberta, que estavam cientes de que a BBC estava planeando cancelar o programa céu à noite. Isso é algo a que nos opomos fortemente. Desde que começou a campanha para salvar S @ N, a BBC afirmou que ainda está em discussões sobre o futuro do programa. https://www.change.org/en-GB/petitions/the-bbc-please-do-not-axe-the-sky-at-night

Blog: Astro-pintura - LCarmo | 25 Jan 2012, 11:11 pm

Astrónomo Artista Amador

Outra forma de ver as coisas.

Blog: Astro-pintura - LCarmo | 25 Jan 2012, 11:10 pm

Assista – Júpiter - 2013

Blog: Astro-pintura - LCarmo | 25 Jan 2012, 11:06 pm

Mês Global da Astronomia 2013

O Mês Global de Astronomia 2013 (GAM 2013) em abril é a maior celebração global do mundo da astronomia sem precedentes desde o Ano Internacional da Astronomia 2009. GAM 2013 traz novas ideias e novas oportunidades, e novamente traz os entusiastas em todo o mundo juntos, celebrando um povo, um Céu. Junte-se ao resto do mundo para o Mês Global de Astronomia 2013. http://

Blog: Astro-pintura - LCarmo | 25 Jan 2012, 11:05 pm

Semana Mundial do Espaço 2011

O que é a Semana Mundial do Espaço? A Semana Mundial do Espaço é uma celebração internacional da contribuição da ciência e tecnologia espacial para o melhoramento da condição humana. Foi oficialmente declarada pelas Nações Unidas como sendo, anualmente, a semana de 4 a 10 de Outubro. Durante a Semana Mundial do Espaço, ocorrem em todo o mundo vários eventos e programas educacionais

Blog: Astro-pintura - LCarmo | 25 Jan 2012, 11:00 pm

AIA2009 - Ano Internacional da Astronomia

O Ano Internacional da Astronomia 2009 (AIA2009) será uma celebração global da astronomia e da sua contribuição para a sociedade e para a cultura, estimulando o interesse a nível mundial não só na astronomia, mas na ciência em geral, com particular incidência nos jovens. O AIA2009 assinala o passo de gigante que constituiu a primeira utilização do telescópio para observações astronómicas por

Blog: Astro-pintura - LCarmo | 25 Jan 2012, 10:56 pm

Passado

Luís Filipe M. Carmo, natural de Tomar, desde muito novo se interessou pela pintura tendo ganho o 1º Prémio Nacional do Ensino Secundário na Exposição de Trabalhos Escolares o qual lhe foi entregue em 1973 pelo então Presidente do Conselho de Ministros, Dr. Marcelo Caetano na 20ª Feira do Ribatejo - X Feira Nacional de Agricultura.

Blog: Astro-pintura - LCarmo | 25 Jan 2012, 10:54 pm

Presente

Só agora descobrindo através da astronomia, novas formas espetaculares resultado de somas cromáticas de uma imensa e rara beleza, renasce de novo para a pintura, efetuando os trabalhos que estão expostos que são no fundo transposições de fotogramas para a tela. Os trabalhos apresentados são todos sobre objetos astronómicos aos quais já lhe chamaram de "Astro-pintura" e que estarão inseridos numa

Blog: Astro-pintura - LCarmo | 25 Jan 2012, 10:52 pm

Futuro

Quem sabe?

Blog: Astro-pintura - LCarmo | 25 Jan 2012, 10:50 pm

Sobre o Autor

O autor tem fascínio pela astronomia observacional e fotográfica. Isso já o sabíamos. Acresce a nossa admiração, por também saber imprimir um cunho artístico à sua obra. Na verdade,constituiu uma surpresa agradável o facto de também fazer incursões pelo mundo sempre apaixonante da pintura , onde imagina cenas coloridas de um universo cheio de movimento e vida. Nele, mescla o que poderia ser a

Blog: Astro-pintura - LCarmo | 25 Jan 2012, 10:48 pm

Astro-pinturas 01-04

I My Universe Nebulae Planetarium V839 Monocerotis II My Universe Nebulae Planetarium III My Universe Basic System IV My Universe Nebulae Planetarium

Blog: Astro-pintura - LCarmo | 25 Jan 2012, 10:46 pm

Astro-pinturas 05-08

V My Universe Nebulae Planetarium NGC 2371 VI My Universe Uranus VII My Universe Nebulae Planetarium Eagle Nebula

Blog: Astro-pintura - LCarmo | 25 Jan 2012, 10:45 pm

Astro-pinturas 09-12

IX My Universe Nebulae Planetarium Orion Nebula M42 X My Universe Eclipse Totale du Soleil XI My Universe Mars XII

Blog: Astro-pintura - LCarmo | 25 Jan 2012, 10:44 pm

Astro-pinturas 13-16

XIII My Universe Black Hole II XIV My Universe Black Hole III XV My Universe Black Hole IV XVI My Universe Comet Halley

Blog: Astro-pintura - LCarmo | 25 Jan 2012, 10:43 pm

Astro-pinturas 17-20

XVII My Universe Comet West XVIII My Universe Jupiter Storms XIX My Universe Solar Prominence XX My Universe Saturn

Blog: Astro-pintura - LCarmo | 25 Jan 2012, 10:42 pm

Astro-pinturas 21-24

XXI My Universe Venus XXII My Universe Nebulae Planetarium NGC 2818 XXIII My Universe Quasar XXIV My Universe

Blog: Astro-pintura - LCarmo | 25 Jan 2012, 10:41 pm

Astro-pinturas 25-28

XXV My Universe Le Soleil XXVI My Universe Helix Nebula Eye of God XXVII My Universe Head Horse Nebula XXVIII My Universe

Blog: Astro-pintura - LCarmo | 25 Jan 2012, 10:40 pm

Astro-pinturas 29-32

XXIX My Universe Galaxy M51 XXX My Universe Galaxy M82 XXXI My Universe Carina Nebula XXXII My Universe Asteroid

Blog: Astro-pintura - LCarmo | 25 Jan 2012, 10:39 pm

Astro-pinturas 33

XXXIII My Universe Carina Nebula I XXXIII My Universe Carina Nebula II XXXIII My Universe Carina Nebula III XXXIII My Universe

Blog: Astro-pintura - LCarmo | 25 Jan 2012, 10:38 pm

Elementos Naturais 01-04

Blooth of the Earth Vendido 2012 Ball of Fire Vendido 2012 Aurora Borealis Acervo do Município do Entroncamento 2012 Portale della Luna Vendido

Blog: Astro-pintura - LCarmo | 25 Jan 2012, 10:35 pm

Elementos Naturais 05-08

The Tree of Thunder Para Venda 2012 The Tree of My Dreams Para Venda 2012 The Ray of the Tornado Para Venda 2012 The Dancing Tornado

Blog: Astro-pintura - LCarmo | 25 Jan 2012, 10:34 pm

Elementos Naturais 09-12

The Sun and the Tree Para Venda 2012 Le Fils du Soleil  Para Venda 2012 The Light of Salvation  Para Venda 2012 Moon Shadow                        Para Venda 2012

Blog: Astro-pintura - LCarmo | 25 Jan 2012, 10:33 pm

Elementos Naturais 13-16

The Hermit in Contemplation             Para Venda 2012   The Wind Para Venda 2012   Pintura em acrílico sobre tela de 90x60cm Fotografias das pinturas – Luís Carmo – Entroncamento 2012

Blog: Astro-pintura - LCarmo | 25 Jan 2012, 10:32 pm

Pinturas por Encomenda 01-04

Faces of FACE I    90x155cm 2012 FACE  Restaurante        Lounge BAR        Entroncamento The City           90x155cm 2013 FACE          Restaurante        Lounge BAR Entroncamento

Blog: Astro-pintura - LCarmo | 24 Jan 2012, 10:40 pm

Pinturas por Encomenda 05-06

Moinho  Pico/Açores     90x155cm 2013 Particular        Entroncamento Queda Livre 90x155cm 2013 EXLIBRIS          Cyber-Snack Bar  Cartaxo

Blog: Astro-pintura - LCarmo | 24 Jan 2012, 10:38 pm

Em busca da estrela perdida

Já lã vão 20 anos desde que o Público fez este destaque sobre a estrela de Belém. Nunca mais voltaram ao tema, mas na altura participei nisto com um artigo. Estive agora a rever o artigo e a pensar que o mistério pode não ser mistério nenhum. Na minha opinião, o relato bíblico sobre esta história é inventado e não é baseado em nenhum fenómeno real. Mas na próxima terça-feira lá estarei para discutir o assunto.


Blog: Radiante | 8 Jan 2012, 6:21 pm

O mistério da estrela de Belém

Segundo reza a tradição quando Jesus nasceu recebeu a visita de três reis Magos, que foram a Belém guiados por uma estrela. Mas a verdade é que não se sabe quantos eram os reis Magos que a bíblia conta que vieram adorar Jesus. Nem sequer se sabe se eram realmente reis ou astrólogos. E não se sabe também se a estrela que seguiram existiu de facto ou se foi apenas uma história inventada para justificar o carácter divino de Jesus. Também não se sabe quando é que Jesus nasceu ao certo e se foi em Belém ou não? Mas o mistério da estrela de Belém continua hoje no imaginário popular e a suscitar debate entre os defensores das várias teorias a respeito do fenómeno. Na próxima terça-feira, vou discutir este tópico com o Frei Fernando Ventura em Aveiro.


Blog: Radiante | 4 Jan 2012, 12:44 pm


BOAS FESTAS 

Blog: Planetário do Porto (blogue ENCERRADO) | 23 Dec 2011, 8:11 pm

Planeta habitável


Astrónomos descobrem planeta mais parecido com a Terra


ok_cc3Uma equipa de astrónomos anunciou esta segunda-feira, em conferência de imprensa, ter identificado o planeta mais parecido com a Terra. O corpo celeste designado Kepler 22-b tem uma massa 2,4 vezes superior à do nosso planeta e tem uma temperatura de aproximadamente 22 graus centígrados, sendo considerado «potencialmente habitável».
Os cientistas que trabalham com o telescópio espacial Kepler, indicaram que o planeta situa-se na chamada «zona habitável» de uma estrela semelhante ao Sol e que fica a 600 anos-luz de distância.
Os investigadores ressalvaram que, apesar de parecer reunir condições para a existência de vida, falta determinar se o Kepler 22-b qual o estado físico predominante do planete, podendo ser predominantemente rochoso, gasoso ou líquido.
Para além do Kepler 22-b, foram detectados mais 1.094 candidatos a planeta. O Kepler 22-b fazia parte de um lote de 54 candidatos a planeta revelado pelos cientistas em Fevereiro.



Fotografias do site da NASA.

Blog: Planetário do Porto (blogue ENCERRADO) | 6 Dec 2011, 3:14 pm

Marte pelos olhos de um rover

Voltar à escola onde fui um pouco da infância e ver que já nada é o que era. Ver que tudo é diferente excepto os olhos surpresos dos alunos que me observam. E pensar no quanto isto seria impossível no meu tempo de aluno. No quanto seria impossível viajarmos até Marte pelos olhos de um rover.


Blog: Radiante | 28 Nov 2011, 1:09 am

Albireo!!!

Uma imagem espectacular de Albireo!

 

Crédito: RickJ

 

Veja o artigo completo aqui.


Blog: Astronomia Para Todos | 27 Nov 2011, 10:50 pm

Jornal DESTAK

Notícia publicada no jornal DESTAK de hoje. 
Para ler clicar sobre a imagem. Obrigada. 

Blog: Planetário do Porto (blogue ENCERRADO) | 23 Nov 2011, 4:51 pm

Dia Nacional da Cultura Científica



Construção de relógios de sol e observação noturna de Júpiter



Celebrando o Dia Nacional da Cultura Científica, 24 de Novembro, a Câmara Municipal do Porto, através da Fundação Ciência e Desenvolvimento, em parceria com o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto, oferece aos visitantes do Planetário do Porto, a possibilidade de, gratuitamente, participarem numa oficina de construção de relógios de sol e observarem o próprio sol e o céu noturno, através de telescópios montados para esse efeito.

Para além das regulares sessões, realizadas para grupos escolares e já devidamente agendadas, o Planetário do Porto estará todo o dia e noite dedicado à celebração da Cultura Científica. Caso as condições atmosféricas o permitam, de manhã e de tarde será possível observar o sol e, a partir do cair da noite, a proposta é observar o céu noturno e em especial Júpiter e as suas quatro maiores luas.

O Dia Nacional da Cultura Cientifica enquadra-se na Semana da Ciência e Tecnologia (de 21 a 27 de Novembro) na qual várias instituições científicas, universidades, escolas, associações, museus e Centros Ciência Viva de todo o País abrem as suas portas ao público, lançando um convite irrecusável para uma viagem pelo conhecimento.

O Dia Nacional da Cultura Científica, 24 de Novembro, foi instituído em 1997 para comemorar o nascimento de Rómulo de Carvalho e divulgar o seu trabalho na promoção da cultura científica e no ensino da ciência.




Blog: Planetário do Porto (blogue ENCERRADO) | 14 Nov 2011, 6:52 pm

Os primeiros tempos do Spirit

Em tempos escrevi um artigo sobre o primeiro ano do Spirit na cratera de Gusev. Naquela época, o rover estava no auge da fama e começava a encontrar os primeiros indícios de que a cratera tinha tido água no passado. Relembrei agora esses tempos ao encontrar o artigo que deixo aqui. Tenho pena de não ter dado seguimento ao texto, mas agora tudo já lá vai.

Aqueous Past in the Gusev Crater


Blog: Radiante | 7 Nov 2011, 1:18 am

Esta noite choveram estrelas…

Por acaso, não houve nenhuma chuva cadente, mas por causa dos meteoros do fim-de-semana (que diga-se de passagem foram uma grande decepção) lembrei-me deste artigo muito velhinho que escrevi há 20 anos para o Público. O artigo era sobre as Perseidas num ano (1991) em que não foram grande coisa. O artigo tinha sido escrito para sair no próprio dia, mas, por qualquer razão, saiu no dia seguinte. No entanto, apesar de ser um ano mau para ver meteoros, sempre deu para encher uma página de jornal. Cá fica como recordação. Já agora lembro uma coisa curiosa sobre estes artigos. Era tudo escrito à mão, pois naquele tempo não tinha computador. Depois de manuscrito, o texto seguia por correio para a malta da secção de ciências o passar para computador. O processo de escrita era muito arcaico, mas lá ia escrevendo umas coisas. No ano seguinte (1992) lá arranjei dinheiro para um computador e deixei de escrever à mão.


Blog: Radiante | 11 Oct 2011, 1:45 am

Cursos

É tempo de reentre e de novos cursos. Por Aveiro temos o ABC da Astronomia que vai começar no final deste mês. A malta de Coimbra vai ter acesso ao ABC do Céu que começa em Novembro. A meio de Outubro faço um bocadinho de exploração espacial no Casino da Figueira.


Blog: Radiante | 6 Oct 2011, 10:17 am

Flying over planet Earth

Blog: AstroWaves - Waves of Stars | 30 Sep 2011, 1:40 pm

Noite Europeia dos Investigadores















23 de Setembro de 2011
Planetário do Porto

Blog: Planetário do Porto (blogue ENCERRADO) | 26 Sep 2011, 7:16 pm

Planetário celebra Noite dos Investigadores



A Fundação Ciência e Desenvolvimento, através do Planetário do Porto, volta este ano a associar-se à agência de divulgação científica Ciência Viva na celebração de um evento que pretende estreitar os laços existentes entre a comunidade científica e a população em geral – a Noite Europeia dos Investigadores (NEI) 2011. Assim, a 23 de Setembro, a partir das 20h00, o Planetário inaugura uma exposição, oferece uma sessão de Astronomia e propõe uma tertúlia com cientistas, naquela que é uma noite especial para a divulgação da ciência.

A Noite Europeia dos Investigadores permite ao público em geral o convívio com cientistas, num ambiente descontraído, que promova a troca de ideias e de experiências. A NEI pretende contribuir, sobretudo junto das camadas mais jovens para a “desmistificação” da imagem dos investigadores e demonstrar que, afinal, a ciência não é tão complicada quanto se julga.

A primeira edição desta iniciativa data de 2005. O evento que ocorre no mesmo dia, em diversos países europeus, e ainda em Israel.

Através da realização de atividades procura-se criar um ambiente propício à interação entre a comunidade científica e o público, de forma abrangente, isto é, crianças e adultos, professores e todos os que manifestem interesse e curiosidade pelas questões científicas.

Assim a 23 de Setembro, no Planetário do Porto, às 20h00 será inaugurada uma exposição de trabalhos realizados pelos alunos de uma Escola do 1º ciclo do ensino básico, sobre o tema “Neptuno”. Às 20h30 realizar-se-á a sessão de planetário “O Vítor à Descoberta do Sistema Solar (lotação máxima 93 lugares) e às 21h30 terá lugar uma Tertúlia com os Investigadores Mercedes Filho e Pedro Figueira. As actividades são de entrada livre, sempre sujeita à lotação dos espaços. Para mais informações sobre a Noite Europeia dos Investigadores consultar o site www.nei2011.eu .


Blog: Planetário do Porto (blogue ENCERRADO) | 22 Sep 2011, 2:08 pm

BOAS FÉRIAS

O Planetário do Porto aguarda a sua visita durante o Verão.

Veja os horários das nossas sessões no site da Fundação Ciência e Desenvolvimento.

O Planetário encerra de 01 a 18 de Setembro para manutenção.

Este blogue vai de férias e regressa no final de Agosto.

Blog: Planetário do Porto (blogue ENCERRADO) | 22 Jul 2011, 12:09 pm

Eclipse da Lua


Eclipse total da Lua será visível esta quarta-feira


Na próxima quarta-feira, dia 15 de Junho, quando nascer a Lua vai estar "escondida".

Dos seis eclipses da Lua previstos para 2011, este será o único visível em Portugal, tanto no Continente, como nas Ilhas.

O fenómeno poderá ser observado a partir das 20h30, sendo que quando nascer a lua vai estar completamente eclipsada, pelo que não vai ser vista.

O eclipse total da Lua é um fenómeno astronómico em que a Lua "mergulha" por completo na sombra da Terra.

Isto acontece quando a Lua cheia passa nos nodos da sua órbita ou na proximidade.

Blog: Planetário do Porto (blogue ENCERRADO) | 13 Jun 2011, 5:59 pm

Nanodia no Planetário do Porto











No âmbito do projecto europeu Time for Nano, a Fundação Ciência e Desenvolvimento associou-se ao evento tendo aceite o desafio da Rede de Centros de Ciência Viva para dedicar o dia à Nano ciência e tecnologia, no Planetário do Porto.

Na passada sexta-feira, dia 20 de Maio, cerca de 80 jovens a frequentarem o 7º ano de escolaridade, de visita ao Planetário, foram convidados a participarem numa actividade conduzida pelo astrónomo Filipe Pires.

A organização deste Nanodia decorreu à escala nacional, nos dias 20 e 21 de Maio, na Rede de Centros Ciência Viva ao qual o Planetário pertence e também no Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa.

O Nanodia foi inteiramente dedicado às nanociências e às nanotecnologias (N&Ns) que, através de actividades práticas, conversas, debates ou demonstrações, pretendeu envolver o grande público num debate informado sobre os potenciais benefícios e riscos destas tecnologias.

No Planetário do Porto, através de um Nanokit, conversou-se sobre este assunto, debatendo a questão através de uma espécie de jogo com base no PlayDecide (incluído no Nanokit).

Blog: Planetário do Porto (blogue ENCERRADO) | 23 May 2011, 12:25 pm

Unequal weights fall with the same speed in a vacuum



"In his 1638 Discorsi Galileo's character Salviati, widely regarded as largely Galileo's spokesman, held that all unequal weights would fall with the same finite speed in a vacuum. (...) Galileo proposed that a falling body would fall with a uniform acceleration, as long as the resistance of the medium through which it was falling remained negligible, or in the limiting case of its falling through a vacuum."

Source: http://en.wikipedia.org/wiki/Galileo_Galilei

Blog: AstroWaves - Waves of Stars | 19 Apr 2011, 11:34 pm

Wonders of the Universe

No APOD de hoje está um vídeo muito interessante que nos leva numa viagem pelos objectos celestes do nosso Cosmos. O vídeo foi criado pela BDH e a música por Timo Baker.
Link para o APOD:  http://apod.nasa.gov/apod/ap110418.html
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Today's APOD is not a picture but it is an amazing video which takes us in a journey throughout the Cosmos. The video was produced by  BDH and the music was composed by Timo Baker.
Link to APOD:  http://apod.nasa.gov/apod/ap110418.html


Blog: AstroWaves - Waves of Stars | 18 Apr 2011, 4:34 pm

AAPOD 07/04/11: Biggest Moonrise in almost 20 years



É com agrado que vejo mais uma foto minha como AAPOD!
Link permanente:
http://astronomy.fm/aapod/2011-04-07_Biggest-Moonrise-in-almost-20-years.html
-----------------------------------------------------------------------------
I am glad that "my Super MoonRise" is today's AAPOD!
Permanet link:
http://astronomy.fm/aapod/2011-04-07_Biggest-Moonrise-in-almost-20-years.html

Blog: AstroWaves - Waves of Stars | 7 Apr 2011, 10:47 pm

NASA Announces 1235 Planet Candidates



NASA's Kepler mission has discovered its first Earth-size planet candidates and its first candidates in the habitable zone, a region where liquid water could exist on a planet's surface. Five of them are Earth-like. The findings increase the number of planet candidates identified by Kepler to-date to 1235. 170 stars show evidence of multiple planetary candidates 

Source:  http://kepler.nasa.gov/news/nasakeplernews/index.cfm?FuseAction=ShowNews&NewsID=98

Blog: AstroWaves - Waves of Stars | 31 Mar 2011, 10:43 pm

LPOD: 20/Mar/2011 - Supermoonrise

LPOD: 20/Mar/2011

I am glad to see that my image sequence of the supermoonrise was selected to be today's LPOD (with Damian Peach's image too). It's "my" second LPOD (this was the first). The aparent diameter of this (almost) perigee moon (only 1h05min apart) was about 33.5'! Very impressive!

Here it is the permanet link to LPOD of 20/Mar/2011:
http://lpod.wikispaces.com/March+20%2C+2011


PS: Check  also Supermoon Photo Gallery from APOD's forum!

Blog: AstroWaves - Waves of Stars | 20 Mar 2011, 9:00 pm

Biggest Moon in almost 20 years!

This animated (click in the pictures to start the animation) GIFs shows the "biggest moonrise" in almost 20 years! The moon had reached the perigee just 1h05min before I took the pictures. Prime focus in 8" f/5 reflector and Canon 1000D.

 

Color


B&W

Color inverted


BW inverted


This video from NASA explains the phenomenon:









Blog: AstroWaves - Waves of Stars | 20 Mar 2011, 2:06 am

Astronauta da NASA no Planetário do Porto
















Scott E. Parazynski, nascido em 1961, é um dos mais experientes astronautas da agência espacial americana NASA, na qual ingressou em 1992. Realizou a primeira das suas cinco viagens espaciais em 1994, na nave Atlantis. A sua última missão teve lugar em Outubro de 2007, a bordo da Discovery, tendo então como tarefa consertar um conjunto de painéis solares danificados pela Estação espacial Internacional (ISS). Durante 15 anos acumulou 1 019 horas no espaço. Na manhã do dia 15 de Março visitou o Planetário do Porto da Câmara Municipal, e passou mais de uma hora à conversa com jovens adolescentes portugueses com quem partilhou o seu gosto pela aventura do espaço e não só.

Formado em Medicina, Scott conta no seu curriculum com cinco missões no espaço e sete “space walks” (caminhadas no espaço). Fez a primeira das suas cinco viagens ao espaço em Novembro de 1994, na nave Atlantis. Três anos após o seu primeiro voo, voltou ao espaço na missão STS-86 da Atlantis. Em 1998 integrou a missão STS-95 da Discovery. Em 2001, a sua quarta missão, foi a bordo da nave espacial Endeavour, que o levou pela primeira vez à Estação Espacial Internacional, na qual realizou duas caminhadas espaciais para instalar na ISS antenas de UHF e braços robóticos de última geração. A sua última missão teve lugar em Outubro de 2007, a bordo da Discovery, mas as suas aventuras não acabaram ai.

Os seus gostos pessoais passam pela escalada, o montanhismo, o voo, o mergulho e o ski. Em 2009 tornou-se o primeiro astronauta a escalar o Monte Evereste. Foi sobre todas estas experiências que o astronauta falou numa sessão que decorreu num auditório cheio de jovens ansiosos por esclarecer dúvidas e fazer perguntas que, no entender de Scott, foram bastante pertinentes.

Guiando a assistência através de uma apresentação de fotografias, o astronauta foi dando a conhecer os seus colegas, não apenas americanos mas também de outros países; a maneira como se dorme, come ou viaja no espaço; o modo como se procedem às comunicações; as capacidades do seu fato espacial; e ainda os seus receios, alegrias e conquistas. Começando a palestra com uma imagem aérea tirada por si aos cumes do Everest acabou partilhando a sua última conquista - precisamente a escalada da montanha mais alta do mundo, na cordilheira dos Himalaias.

Seguiram-se as perguntas e as fotografias. O astronauta, com uma simpatia invulgar, a todos respondeu e fez questão de sublinhar que qualquer um dos presentes poderá vir a ser o primeiro astronauta português. E, para tal, deixou algumas dicas: estudem matemática, ciência ou engenharia e aprendam várias línguas. “Mas, acima de tudo, façam o vosso melhor!”.

Blog: Planetário do Porto (blogue ENCERRADO) | 17 Mar 2011, 7:34 pm

Primeiro planeta rochoso fora do sistema solar

http://clix.visao.pt/descoberto-primeiro-planeta-rochoso-fora-do-sistema-solar=f585526

A revista Visão online noticia a descoberta de um novo planeta rochoso. Veja o video clicando neste link.

Blog: Planetário do Porto (blogue ENCERRADO) | 11 Jan 2011, 11:47 am

Hotspots em fontes com a ajuda da Sun superfície Explique Mistério Aquecimento Coronal


Entre os muitos em constante movimento, aparecendo, desaparecendo e eventos em geral explosivo na atmosfera do sol, existem gigantescas plumas de gás - a largura de um Estado e enquanto a Terra - o zoom a partir da superfície do sol em 150.000 milhas por hora . Conhecido como espículas, estas são um dos vários fenômenos conhecidos por transferência de energia e calor por toda a atmosfera magnético do Sol, ou corona.

Graças ao Solar da NASA Dynamics Observatory (SDO) e do satélite japonês Hinode, essas espículas foram recentemente analisados e medidos melhor do que nunca, mostrando-lhes para conter gás mais quente do que o anteriormente observado. Assim, talvez um papel fundamental para ajudar a aquecer a coroa do sol para um escalonamento milhões de graus ou mais. (Um número surpreendente, uma vez tornada mais a superfície do sol em si é apenas cerca de 10.000 graus.
Podes descobrir muito mais sobre a astronomia no seguinte site: http://www.nasa.gov/home/index.html

Blog: Os pequenos grandes astrónomos do 7E | 8 Jan 2011, 10:49 pm

2011

BOM ANO NOVO !!!

Blog: Planetário do Porto (blogue ENCERRADO) | 3 Jan 2011, 12:46 pm

Amazing Storm on Saturn



This image taken by the Cassini (24/12/10) spacecraft shows the giant storm on Saturn. At it's current size the storm should be visible even with mid-sized amateur telescopes (in good seeing conditions). Also take a look at the image of the storm taken from Earth by Anthony Wesley: http://spaceweather.com/swpod2010/28dec10/wesley1.jpg?PHPSESSID=92s2crjldso0ucu0leq0a27pk6

Blog: AstroWaves - Waves of Stars | 29 Dec 2010, 2:40 am

Oficina de Pins - Contar o Natal






Dia 21 de Dezembro o Planetário do Porto esteve no edifício da Câmara Municipal do Porto a participar na iniciativa autarquica - Contar o Natal! - Fizemos muitos Pins, natalícios e astronómicos, e desejamos a todos um Feliz Natal!!!

Blog: Planetário do Porto (blogue ENCERRADO) | 23 Dec 2010, 1:00 pm

365 Days of Astronomy Podcast: Life in the Universe: Odds and Expectations

Hi everyone,

Today (yesterday actually, 4th October) my podcast was transmited worldwide through the  365 Days of Astronomy Podcast website (http://365daysofastronomy.org/). The title is "Life in the Universe: Odds and Expectations".

You can listen to it in: http://365daysofastronomy.org/2010/10/04/october-4th-life-in-the-universe-odds-and-expectations/ by clicking in dowload.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
(!you can listen to it in the link above!)

Transcript:
 
Hi, I am André Gonçalves from Vieira do Minho, Portugal. Today I will talk about life on Earth and the possibilities of life arising in other worlds far away from ours, as well as the basic conditions a planet must have in order to support life. I will try to reach several topics and make you think, wonder and even speculate about extraterrestrial life.
The most accepted theory for the origin of life on Earth is called “The Primordial Soup Theory” which suggests that life began in an ancient ocean filled with organic compounds and a primitive atmosphere mainly constituted by hydrogen and nitrogen. The heat, the ultraviolet radiation and the abundant lightings triggered chemical reactions that formed amino-acids, the building blocks of life that make up proteins.
RNA is generally assumed to be the earliest self-replicating molecule, which eventually led to the first unicelular organism. Several millions of years later, photosynthesizing cyanobacteria evolved and the concentration of oxygen in Earth’s primitive atmosphere rose. The origin of multicellularity may have occurred from symbiosis of single celled organisms, each with different roles in the colonies.
But these were only the first steps. Then, life exploded on Earth: plants, animals, fungi, etc emerged and evolved for millions of years until today.
Nowadays, our ‘blue planet’ is full of life and millions of different species inhabit our planet. Why Earth is really good for life? Well, there are lots of reasons but I’ll try to focus on the most important ones. Liquid water is obviously an important condition, and almost all the life forms on Earth depend on it. Also, it is a solvent and allows the interaction of organic molecules (in ice the molecules are trapped and can’t interact with each other; in water vapor the molecules are far away from each other and the interaction is difficult). Polarity is another property of water which makes it an “universal solvent”. Water can dissolve salts, acids, sugars, as well as gases. Most cell components including proteins, polysaccharides and DNA dissolve in water making it the basis of life.
Every planetary system has an “habitable zone” where a planet can maintain liquid water on its surface. Earth is within this zone as well as Venus and Mars, but these three planets are very different from each other! This leads us to one of the most important conditions for life: a life-friendly atmosphere. Venus has an extremely dense atmosphere which consists mainly of carbon dioxide, thus the pressure at the planet’s surface is about 92 times that at Earth’s surface and it generates (along with other greenhouse gases) a strong greenhouse effect, creating surface temperatures above 450 ºC. In the other hand, Mars has a thin atmosphere and no greenhouse effect turning the planet in a big cold desert. Because Mars’ mass is only 10% the mass of the Earth, it makes atmosphere retention difficult and the constituent molecules are more likely to be lost to space when buffeted by solar wind. Here on Earth, the atmosphere has just the right amount of CO2, keeping the temperature suitable for life.
Earth’s magnetic field protects us from solar wind and cosmic radiation which damages our cells. It is caused by electric currents in the liquid outer core which combined with the planet’s rotation creates a dynamo responsible for the magnetic field.
Now we know that atmosphere, mass, a liquid outer core and a right amount of planetary rotation are also major conditions for maintaining life.
However, there are organisms capable of living under extreme conditions such as high/cold temperatures, high levels of radiation, high salinity, acidity, etc… These organism are called ‘extremophiles’. This is amazing because it tells us that life can thrive even in planets with harsh conditions and perhaps life is not so rare in the Universe as we may think at first glance.
Most extremophiles are microbes like bacteria and archaens (primitive bacteria-like organisms) and are thought to be the first organisms on Earth and they are the most likely to survive to an extinction caused by a catastrophic event.
Astrobiologists are very interested in extremophiles, as many organisms of this kind are capable of surviving in environments similar to those known to exist on other planets or moons of our Solar System. Some people speculate that Mars may have regions that could harbor communities of extremophiles as well as in the hypothetical subsurface ocean of Europa (a Jupiter’s moon). Titan, Saturn’s largest moon (and the second-largest moon in the Solar System), has a dense atmosphere mainly constituted of nitrogen and trace amounts of methane and other hydrocarbons. Cassini spacecraft and the Huygens probe found evidence of lakes of liquid methane as well as clouds and even rain! There has been some speculation that methane may have a role similar to the importance of water here on Earth and maybe some bacteria could live on Titan’s surface.
Some people believes that life exists throughout the Universe, in asteroids or other small space junk, in a dormant state until it encounters a suitable environment. This is know as the “Panspermia hypothesis”. Panspermia proposes that forms of life like extremophiles become trapped in debris that was ejected into space after a collision between a planet which harbor life and comets or asteroids. This kind of organisms may travel dormant for an extended amount of time before colliding with other planets. If the new planet has suitable conditions, the bacteria becomes active and the process of evolution begins. Of course, the bacteria would have to resist to high pressures, high temperatures, radiation, etc. The mechanisms proposed for panspermia are hypothetical and currently unproven and most scientists remain skeptical about this.
But the hundred million dollar question is: extraterrestrial life exists? Life could have emerged in other planets? The truth is that we never found alien life or even evidence of it, neither in the Solar System nor in exoplanets. But this means that we are alone in the vast Universe? Our little planet is that special and unique for life and there isn’t another planet capable of support life in the big dark ocean out there? I don’t think so.
Why? Well, our galaxy has thousands of millions of stars and there are thousands of millions of galaxies throughout the Universe, so the total number of stars in the cosmos is unimaginable! With the discovery of exoplanets, it is not hard to image that many of those stars have planetary systems which can have planets capable of harbor life. In fact, it would be improbable for life not to exist somewhere in the Universe due to the astronomical numbers of galaxies, stars, planets and moons.
With that in mind, Frank Drake formulated his equation in 1961 as a way to focus on the factors which determine how many intelligent civilizations may exist in our galaxy. Drake’s equation depends on factors such as: the total number of stars in the Milky Way, it depends on the fraction of those stars that have planets, it depends on the average number of planets that can potentially support life per star that has planets, it depends on the fraction of those planets that actually go on to develop life at some point, it depends on the fraction of inhabited planets on which intelligent life emerges, it depends on the fraction of those worlds where intelligent beings evolve to be able to communicate and finally, it depends on the fraction of a planet’s lifetime that is graced with a technological civilization.
I strongly advise you to see episode 12 “The Encyclopaedia Galactica” of the famous TV series “Cosmos” presented and written by Carl Sagan. In that episode, Carl Sagan obtained from Drake’s equation that there are 10 civilizations capable of communicate in the Milky Way.
Of course, no one knows those parameters exactly and they give us only a hint of the number of technological civilizations in our galaxy. But remember that the Universe has lots of galaxies! So, even if the outcome of Drake’s equation is a very small number, that number multiplied by the estimated number of galaxies in the observable Universe will probably yield a considerable number of advanced civilizations in the whole cosmos! And the number of non-intelligent life has to be even greater!
We saw that life is possible outside planet Earth, but how we will find it? The distances are so great that we can’t send spacecrafts or probes to other worlds. But we can try to listen.
There are projects, like SETI, that use radio-telescopes to survey the stars, looking for radio-signals or messages from another intelligent beings. Now, you may be wondering how we will understand their messages, because no one expects that they can speak English or any other human language. But there is a universal language: mathematics. They can send a signal with a series of prime numbers, or the Fibonacci sequence, or something else that any intelligent civilization will understand as a message, clearly distinct of any other natural radio source.
I hope you enjoyed this podcast. Thanks for listening and you can now wonder beyond the horizon, beyond planet Earth.

Blog: AstroWaves - Waves of Stars | 5 Oct 2010, 2:52 am

M13 and Phoenix Astronomical Society

Phoenix Astronomical Society has a great newsletter with many useful information and different topics; in this month's newsletter they have an image of M13 taken by me (dated from last August) published there; the image is on page 4, as well as some very interesting information about this messier object.

I recommend you to look at other issues and to keep an eye on those interesting newsletters.

Blog: AstroWaves - Waves of Stars | 6 May 2010, 1:48 am

ESTE BLOG FOI FEITO NO ANO PASSADO PELA MINHA TURMA ONDE TEMOS TODOS OS NOSSOS TRABALHOS QUE FIZEMOS AO LONGO DO ANO

Blog: Os pequenos grandes astrónomos do 7E | 29 Apr 2010, 4:19 pm

AAPOD - 09/04/10


É com agrado que vejo mais uma foto minha como AAPOD!
Link permanente:
http://astronomy.fm/aapod/2010-04-09/images/aapod/2010-03-29-1269888915.gif
-----------------------------------------------------------------------------
Today's AAPOD is my shot of Sunspots 1057 and 1059!
Permanet link:
http://astronomy.fm/aapod/2010-04-09/images/aapod/2010-03-29-1269888915.gif

Blog: AstroWaves - Waves of Stars | 9 Apr 2010, 11:04 pm

Sunspots - 28/03/2010



Aqui fica uma foto do Sol tirada hoje com o meu Solarscope e Canon 1000D. São visíveis as manchas solares 1057 e 1059 (próxima do limbo). A imagem está invertida horizontalmente e também na vertical, devido ao sistema lente-espelho do Solarscope. A imagem original é com luz branca projectada pelo Solarscope, mas para dar um ar mais "quente e côr mais habitual" à foto diminuí o canal azul e verde e aumentei ligeiramente o vermelho (com o Gimp). Há já bastante tempo que não via as manchas solares visto que o Sol tem andado calmo, mas já se nota um aumento significativo de actividade solar.
----------------------------------------------------------------------------------
Today, the Sun looked like this. I took this photo with my Solarscope and Canon 1000D. The sunspots 1057 and 1059 (near the limb) stand out quite nicely. The image is horizontally and vertically flipped because of the optical system lens-mirror of the Solarscope. The original image is seen in white light, but I managed (on Gimp) to decrease the blue and green channels and increase the red one a little bit to give this color to the solar disk. The Sun is waking up with activity...

Blog: AstroWaves - Waves of Stars | 28 Mar 2010, 10:56 pm

Caros leitores...

Olá...

Caros leitores, a turma do ano passado 7ºE, deixou de lhe escrever novidades sucessivamente, porque maior parte dos alunos mudaram para o 8ºE. Mas mesmo assim vamos tentar dar-lhe notícias sobre astronomia, não como antes, mas sempre que póssamos.

Obrigado pela Compreensão,
8ºE

Blog: Os pequenos grandes astrónomos do 7E | 3 Feb 2010, 7:54 pm

U Scorpii Erupts As Predicted

One year ago, Bradley Schaefer predicted that the recurrent nova U Scorpii was about to explode again. In the morning of January 28th, amateur variable-star observers Barbara Harris and Shawn Dvorak announced that U Sco brightened from magnitude 18.0 to 8.0!!! It can now be seen with an ordinary pair of binoculars.

Source:
http://www.skyandtelescope.com/observing/home/82967237.html

Blog: AstroWaves - Waves of Stars | 29 Jan 2010, 1:20 am

Moon(s)

Moonfruit

Close-up

Moon with Jupiter at top left

Moon in the sky

These moonshots were taken in 19th December of 2009, but I only managed to post them today. Hope you like it.

Blog: AstroWaves - Waves of Stars | 24 Jan 2010, 11:01 pm

365 Days of Astronomy Podcast - 4th October


This project will continue in 2010 and I will contribute with another podcast this year. The title is "Life in the Universe: Odds and Expectations"; I'll try to talk about everything about life in the Universe (including Earth) and perhaps open a discussion of ideas after it, here in the blog. This is a subject where imagination and extrapolation play a big role, but we should not forget the scientific facts...

Abstract: This podcast is about the odds of life emerge in our Universe. We will see how extraordinary and improbable is our existence. We will seek for the conditions a planet must have to support life and what are the odds of life arise in such a planet. How would be the contact with other civilizations? Is it possible or it's just fiction? How the extraterrestrials may look like? How we will communicate? In this podcast I will try to answer to this questions and to reach several topics. This questions make all of us wonder, and my intention is to make you wonder beyond the horizon, beyond Earth.

Blog: AstroWaves - Waves of Stars | 22 Jan 2010, 3:09 pm

Perguntas e respostas...


Caros leitores deste blog, a turma do 7ºE decidiu que os nossos leitores não deviam ficar sem resposta às suas perguntas, por isso decidi-mos que através dos comentários, o caro leitor podia fazer a sua pergunta e assim que a turma do 7ºE tenha conhecimento de tal, tentará ser breve em dar-lhe a devida resposta.
Com esta nova ideia a turma do 7ºE pretende tirar as dúvidas e curiosidades dos leitores esclarecendo-as.

Com os melhores comprimentos:
Turma do 7ºE.

Blog: Os pequenos grandes astrónomos do 7E | 9 Jul 2009, 9:29 pm

Via Láctea



Uma galáxia é um conjunto de estrelas gases e poeiras e nebulosas que permanecem juntos devido à gravidade. A nossa galáxia chama-se Via Láctea e é uma galáxia com forma em espiral.
A massa da Via Láctea é de 160 milhões de massas solares, correspondendo 10 % a gases e poeiras. Apresenta um período de rotação de 225 milhões de anos, girando a uma velocidade de 800 mil km/ h.
A Via Láctea está sempre em movimento, pois o Universo encontra-se em expansão desde a sua formação e por isso não temos a certeza onde se situa. No entanto sabe-se que o centro da via Láctea está situado na direcção da constelação Sagitário e que a galáxia mais próxima é a Nuvem de Magalhães, visível do Hemisfério Norte.
O braço da galáxia que se situa mais perto do centro, é o braço Centauro, visível apenas no Hemisfério Sul. Segue-se o braço de Sagitário, de onde parte o braço onde se situa o Sistema Solar, o braço de Orionte. Depois situa-se o braço de Perceu e o mais exterior, o de Cisne
Só foi possível conhecer a localização do Sistema Solar da Via Láctea em 1920. Quem fez esta descoberta foi um astrónomo Americano, Harlow Shapley.

Blog: Astro2009 | 19 Jun 2009, 3:42 pm

Asteróide Apophis em órbita

Asteróide Apophis em órbita




A NASA descobriu um asteróide que está a ameaçar a Terra. Para que o asteróide 99942 Apophis não colida com a Terra, os cientistas pensaram em algumas soluções.

Dados sobre o asteróide Apophis:

O nome desse asteróide é: 99942 Apophis e foi descoberto a 19 de Junho de 2004.
Tem um diâmetro superior a 300m, quatro vezes a altura da torre Vasco Da Gama e tem aproximadamente 5´1010 kg.
Algumas das soluções são:
A. Alterar a órbita de Apophis.

1.A nave espacial usa a força de atracção gravitacional do asteróide, mantendo-se próxima dele.

2.Depois “perde” o asteróide e desvia a órbita através dos propulsores da nave.





B. Fazê-lo explodir.

1.Enviar um míssil que o fará explodir.

2.Perigo: detritos da explosão com dimensões consideráveis, poderão cair na Terra com grande impacto.


A NASA também calculou que se o impacto acontece-se libertaria 100.000´ a energia da Little Boy, a bomba atómica de Hirshima.
Mas se ambas as opções não resultarem, embora as hipóteses de acontecer uma catástrofe sejam extremamente remotas, se Apophis cair na Terra, haverá grandes alterações no planeta.
Será que conseguiremos deter essa catástrofe?


Trabalho realizado por:
Joana Horta/7ºE/Nº14
Gonçalves
Mendes /7ºE/Nº11

Blog: Os pequenos grandes astrónomos do 7E | 16 Jun 2009, 9:23 pm

Saturno






Saturno é o sexto planeta a contar do Sol. Este planeta situa-se entre Júpiter e Úrano. É o segundo maior planeta depois de Júpiter, sendo um Gigante Gasoso do Sistema Solar. Porém, é o que tem menor densidade, tanto que, se existisse um oceano suficientemente grande, Saturno flutuaria nele. Este astro é conhecido pelo seu sistema de anéis, que se vê da Terra. O seu nome provém do deus Romano Saturno, pois devido à sua posição orbital mais distante que Júpiter, os antigos romanos chamaram-lhe o nome do pai do deus Júpiter a este planeta.
Leva aproximadamente 29 anos e meio terrestres para completar a sua órbita em torno do Sol e tem como período de rotação 10 horas e 23 minutos.
Antes da invenção do telescópio, Saturno era o mais distante dos planetas conhecidos.
Os Anéis de Saturno
Os anéis de Saturno são constituídos essencialmente por uma mistura de gelo, poeiras e material rochoso. Embora possam atingir algumas centenas de milhares de quilómetros de diâmetro, não ultrapassam 1,5 km de espessura. A origem dos anéis é desconhecida. Originalmente pensou-se que teriam tido origem na formação dos planetas há cerca de 4 bilhões de anos, mas estudos recentes apontam para que sejam mais novos, tendo apenas algumas centenas de milhões de anos.



Satélites de Saturno
Saturno tem um grande número de satélites ou luas, mais do que os outros planetas. Os seus maiores satélites, conhecidos antes do começo da exploração espacial, são: Mimas, Titã e Pã.
A sonda Cassini-Huygens em Junho de 2004 fotografou o que são considerados mais dois satélites de Saturno e que foram baptizado de Methone e Pallene. A 1 de Maio de 2005, um terceiro satélite natural foi descoberto na Falha de Keeler (um intervalo existente no Anel A de Saturno), e foi temporariamente designado de S 1. (O outro satélite existente dentro do sistema de anéis de Saturno é Pã) .A Lua Pã também se situa dentro do sistema de anéis de Saturno.
Encélado e Titã são planetas especialmente interessantes para os cientistas planetários, porque nelas pela existe de água líquida a pouca profundidade da sua superfície, com a emissão de vapor da água geyser e porque possuem uma atmosfera rica em metano, bem similar à da terra primitiva.


Observações de Saturno

Saturno é um planeta fácil de observar, porque é visível no céu na maioria das vezes e os seus anéis podem ser observados ao telescópio. Pode ser observado melhor quando o planeta estiver próximo ou em oposição, isto é, a posição de um planeta quando está posicionada num ângulo de 180°. Neste caso ele aparece oposto ao Sol no céu. Há 4 anos no dia 13 de Janeiro de 2005 Saturno foi visto como nunca foi visto nos anos anteriores e seguintes, devido ao sentido muito favorável dos seus anéis em relação a Terra.
Saturno é observado simplesmente no céu nocturno como um ponto luminoso brilhante (que não pisca) e amarelado, cujo brilho varia normalmente entre a magnitude de +1 e o 0.
Com apoio óptico, como binóculos grandes ou um telescópio, e uma ampliação da imagem pelo menos 20 vezes, é possível distinguir claramente os anéis de Saturno.

Blog: Os pequenos grandes astrónomos do 7E | 13 Jun 2009, 10:39 am

Planeta Anão




Um planeta anão é um corpo celeste muito semelhante a um planeta, que orbita em volta do Sol e tem gravidade suficiente para assumir uma forma com equilíbrio. No entanto, não possui uma órbita desimpedida. Um exemplo de um planeta anão é Ceres que, localizado na cintura de asteróides, possui o caminho de sua órbita repleto daqueles pequenos astros.
Actualmente conhecem-se cinco planetas anões no sistema solar, são eles:
Ceres, Plutão, Haumea, Makemake e Éris. Os quatro últimos orbitam para além da órbita de Neptuno. mas o planeta anão mais conhecido é Plutão, porque durante muito tempo foi considerado planeta principal.
Fonte:http://universodesconexo.wordpress.com/page/5/

Blog: Astro2009 | 5 Jun 2009, 4:32 pm


Foi no dia 25 Dezembro de 1968 que o homem foi pela última vez ás proximidades da lua Alen Bean pilotou o módulo lunar Apollo 12 em Maio.
A NASA fará 51 anos dia 1 de Novembro.
Neil Amstrong viajou pela primeira vez no espaço em 1966. Foi também o primeiro a pisar o solo lunar em Outubro de 1969.
É uma notícia do outro mundo embora por enquanto tenha de ser dada neste. Há muitos anos que não surgiram oportunidades tão promissoras de emprego para trabalhar no espaço.
A NASA está a preparar novas expedições à Lua. Os portugueses são candidatos para a próxima viagem.


Trabalho realizado por:
Samanta Carvalho
Sara Vieira
José Gaspar

Blog: Astro2009 | 5 Jun 2009, 4:31 pm

Os cometas

OS COMETAS são pequenos corpos celestes constituídos por poeira e gases. Actualmente estão catalogados cerca de 1000 cometas, dos quais cerca de 150 têm períodos orbitais. Ao aproximarem-se do Sol os cometas tornam-se activos. Os cometas descrevem órbitas elípticas ligeiramente inclinadas em relação à orbita da terra.
Quando na sua órbita não estão próximos do Sol, os cometas são apenas bolas pequenas, escuras. Mas à medida que se aproxima do Sol, o gelo começa a derreter e o gás começa a espalhar-se; daí forma-se a cabeleira.
Os gases e as poeiras, empurradas pelo vento, originam a cauda. Quando os cometas estão perto do Sol o seu tamanho aumenta e ficam muito mais brilhantes.
Os cometas mais populares são Halley, Lilin e Hale-bopp.
Em 2022 espera-se a passagem do cometa 73P próximo a Terra, mas o que chama a minha atenção é que o cometa está desintegrar-se e pode vir a desaparecer.

Blog: Astro2009 | 5 Jun 2009, 4:20 pm

Visita de estudo à exposição "A evolução de Darwin"

No passado dia 22 de Abril de 2009, a nossa turma foi à exposição “A evolução de Darwin” em Lisboa, na fundação Calouste Gulbenkian.
Lá vimos representações de algumas das espécies que este naturalista recolheu ao longo da sua viagem.
A exposição estava dividida em três módulos diferentes. Na parte inicial conhecemos algumas das teorias sobre a evolução dos animais e plantas antes do trabalho de Darwin. Na segunda parte da exposição foi-nos descrita a viagem que Darwin realizou no Beagle.
Vimos mapas dos locais por onde Darwin passou, uma réplica do barco onde viajou, e uma escultura em tamanho real feita de cera, de Charles Darwin com 21 anos. O guia falou-nos sobre as várias paragens que Charles Darwin fez ao atravessar aqueles países todos. Reparamos também que havia uma representação em que o homem se transformava em cavalo, a explicar a teoria da evolução. Vimos algumas cópias dos cadernos de notas de Darwin.
Na última parte relacionava-se com a genética.
No fim da visita de estudo havia uma loja de recordações onde podíamos comprar objectos sobre a nossa visita.

Blog: Astro2009 | 5 Jun 2009, 3:54 pm

Planeta Terra


A Terra é um planeta que faz parte do Sistema Solar que fica na terceira posição a contar do Sol.
Também é o maior dos quatro planetas rochosos e o único planeta habitado por seres humanos.
O planeta Terra é o único planeta habitado porque têm condições adequadas para um ser humano viver como por exemplo: tem bastante água em estado líquido, tem oxigénio e também tem dióxido de carbono.
O planeta Terra tem aproximadamente uma forma esférica.
A forma real da Terra é chamada de Geóide, apresenta forma muito irregular, ondulada.

Características do Planeta Terra
Diâmetro total do planeta: 510 milhões de quilómetros quadrados
Distância em relação ao sol: aproximadamente 150 milhões de quilómetros
Terras emersas: 149 milhões de quilómetros quadrados
Área dos oceanos e mares: 360 milhões de quilómetros quadrados
Profundidade média dos oceanos: 3.795 metros
Velocidade média da órbita: 29,79 quilómetros por segundo
Idade da Terra: cerca de 4,5 a 5,0 biliões de anos
Ponto mais alto da Terra: Everest, localizado no Nepal (China).

Blog: Os pequenos grandes astrónomos do 7E | 3 Jun 2009, 2:23 pm

A Lua

O que é a Lua?
A Lua é um satélite natural da Terra, visível à noite. A distância entre a Lua e o planeta Terra varia de acordo com a época do ano. Quando está mais próximo da terra o afastamento é de 356,334 km.

A face visível:
O Período de translação da Lua em torno da terra é de 27d, 7h e 43,7m. O seu Período de rotação tem exactamente os mesmos 27d, 7h e 43,7m. É por esta razão que para um observador na Terra um dos seus hemisférios estará sempre oculto. Na verdade toda a Lua recebe raios
solares em todas as suas faces
Quando a Lua se encontra em conjunção com o Sol, a face visível está totalmente às escuras e a face oculta está iluminada.
É a Lua nova. Uma vez que nesta fase a Lua nasce e se põe com o Sol, ela só é visível quando ocorre um eclipse solar.
Aproximadamente 7,5 dias depois a Lua encontra-se num ângulo de 90º em relação ao Sol. Nesta fase a porção iluminada equivale a metade da face visível, portanto um quarto da superfície lunar. Vem daí o nome Quarto crescente. Nesta fase a Lua nasce aproximadamente ao meio-dia e põe-se à meia-noite.
Quando a Lua se encontra em oposição ao Sol, em torno de 15 dias após a Lua nova, sua face visível fica totalmente iluminada, é a Lua nova. Nesta fase a Lua nasce quando o Sol se põe e seu ocaso ocorre ao nascer do Sol.
Mais uma semana até que se forme um ângulo de 270º e a Lua estará em Quarto minguante. Nesta fase a Lua nasce à meia-noite e se põe ao meio-dia.
O ciclo da lua se completa em pouco mais de 29,5 dias e é, portanto, quase dois dias mais longo que a translação. Isto ocorre em função do movimento de translação da Terra.


Primeira humano a pisar a Lua:
A Lua sempre atraiu a atenção do homem, e este interesse ficou registado na poesia, na literatura e na ficção científica. Há duzentos anos, em uma famosa obra de ficção intitulada "De la Terre à la Lune" (1865), Júlio verne escreve sobre um grupo de homens que viajou até a Lua usando um gigantesco canhão. Na França, George Melies foi um dos pioneiros do cinema, e em seu filme "Le voyage dans la Lune" (1902) acabou criado um dos primeiros filmes de ficção científica em que descrevia uma incrível viagem à Lua.
Historicamente, a exploração espacial começou com o lançamento do satélite artificial Sputnik pela URSS a 4 de Outubro de1957, no Cosmódromo de Baikonur
(base de lançamento de foguetes da URSS), em Tyuratam, no Cazaquistão. Este acontecimento provocou uma corrida espacial pela conquista do espaço entre a URSS e os EUA que culminou com a chegada do homem à Lua.

Blog: Os pequenos grandes astrónomos do 7E | 3 Jun 2009, 2:18 pm

Os 50 anos da NASA

o que é a NASA ?
A NASA é conhecida mundialmente como a Agência Aero-espacial. É uma agência do governo dos E.U.A. fundada em 29 de Junho de 1958.A NASA é responsavel pela pesquisa , tecnológias e por programas de exploração espacial.
Foi a NASA que enviou o homem a lua.
A NASA trabalha juntamente com a Agência Espacial europeia e com a Agencia Espacial Federal Russa.
A NASA tem criado e desenvolvido satélites e sondas espaciais.
A NASA ao longo dos seus 50 anos tem treinado astronautas para os preparar para o espaço.
A NASA construio um satélite de alumínio com cerca de 60 metros , por duas vezes esse satelite passou por despercecido pelos E.U.A .
A nasa é famosa pelas suas missões espaciaistripuladas .
Durante os 50 anos da NASA foram construidos varios satélites , tal como o TIROS (satélite de ovservaçao de televisão infra-vermelhos) , em 19660 , a NASA lançou o primeiro satélite meteorológico do mundo.
A NASA também organizou vários voos orbitais tripulados.
Durante 36 anos a NASA mandou cerca de 17 astronautas para a Lua , e estão a pensar retomar , o programa pretende pousar a próxima geração de autronautas para a Lua por volta de 2020.

Blog: Os pequenos grandes astrónomos do 7E | 3 Jun 2009, 2:13 pm

A Biografia de Darwin

Naturalista e biólogo inglês, Charles Robert Darwin nasceu em Shewbury, uma cidade situada no Oeste de Inglaterra, perto da fronteira do país de Gales a 12 de Fevereiro de 1809. Morreu a 19 de Abril de 1882.
Era filho de um médico e seu pai, queria que ele estudasse Medicina.
Nos seus tempos livres caçava e coleccionava espécies com interesse para a história natural que colhia quando passeava pelos campos ingleses. Tinha um interesse particular em coleccionar escaravelhos.
Seguindo a vontade do seu pai Darwin foi Edimburgo estudar Medicina mas não continuou os seus estudos acabando por abandonar a carreira tradicional da sua família.
Mudou-se para Cambridge disposto a se tornar um sacerdote anglicanico. No entanto, passava grande parte do seu tempo a passear, a ler livros de história natural e a coleccionar escaravelhos.
Darwin preparava-se assim para realizar a sua primeira expedição. No entanto a morte inesperada do seu companheiro, não permitiu que a viagem ás ilhas Canárias se realizasse.
Em Agosto de 1831, Darwin recebeu uma carta do seu professor Tlenslow, convidando a integrar uma viagem no HMS Beagle. Esta expedição tinha por objectivo mapear a costa da América do Sul, tendo uma duração prevista de 2 anos.
No entanto Darwin necessitava da ajuda do seu pai para realizar essa viagem.
Seu tio ajudou-o a convencer o pai a permitir a sua viagem.
No dia 2 de Setembro de 1831, Darwin ia falar com o Rev. Henslow, apercebeu-se que o capitão do navio o capitão Fitzroy da Armada Real já tinha seleccionado outro naturalista para a viagem. Quando tudo já parecia estar perdido ele decidiu falar com Fitzroy, que lhe dizia o seu convidado tinha recusado o convite e que o lugar ficaria disponível para Darwin.
Após conseguir a permissão do seu pai, e contado com o seu amigo Marmaduke Ramsey como acompanhante de viagem, Darwin começou frequentar as aulas de geologia do professor Adam Segwick. Fui levando a prestar muita atenção a vários ramos da história natural, e deste modo os seus poder de observações.
Amigos íntimos que ajudarão Darwin foram: William Darwin Fox, Charles Lyell,
Joseph Dalton Hooker, Asa Gray, Thomas Huxley John Lubbock.
Os locais visitados pelo Darwin foram: Passagem pela Madeira e palas ilhas Canárias, Brasil, Terra do Fogo, ilhas Maldivas, Rio Santa Cruz, Valparaíso, ilhas Galápagos, O Beagle na Nova Zelândia e na Austrália.
O Darwin viveu em Kent, em Douw house.
O Darwin foi sepultado a Abadia de Westminster, em Londres, em 1882, foi sepultado como uma das figuras científicas mais veneradas do paí
A importância desta viagem foi Darwin arranjar animais e estuda-los para a evolução da ciência.
O HMS Beagle partiu no dia 27 de Dezembro de 1831.
Nesta expedição científica, que durou 5 anos, Darwin navegou pela costa do Pacifico e América do sul, conhecendo algumas regiões de todos os continentes.
Durante as suas paragens, Darwin teve oportunidade de recolher rochas, plantas e animais, observou milhares de espécies vegetais e animais, erupções vulcânicas e terramotos.
Com todas as suas observações e dados que recolheu Darwin estudou a diversificação das espécies, o que levou a desenvolver a Teoria da Selecção natural.
Em 1859, Darwin publica o seu livro “ A origem das Espécies” onde defende a sua teoria evolucionista por selecção natural.
Casou com a sua prima Emma Wedguool em 1839 e teve 10 filhos.
Foi as ilhas Galopagos que observou que entre ilhas próximas existiam espécies de cotovias, tartarugas e tentilhões diferentes.
Darwin decide publicar o seu trabalho, depois de ter recebido uma carta do naturalista Wallace onde apresentava uma teoria muito semelhante à sua.
O Darwin viveu em Kent, em Douw house.
O Darwin fou sepultado a Abadia de Westminster, em Londres, em 1882, foi sepultado como uma das figuras científicas mais veneradas do Paí

Blog: Os pequenos grandes astrónomos do 7E | 3 Jun 2009, 2:12 pm

O Planeta Júpiter


Júpiter é o quinto planeta mais próximo do Sol e é o maior planeta a contar do Sol.
O olho de Júpiter é uma grande tempestade que se move numa direcção anti-horária e tem três anéis um anel principal, um anel Gossamer e um anel Halo. O anel Gossamer é visto como um único anel, mas o sistema de imagens da Galileu deu-nos a descoberta inesperada que o anel Gossamer é na realidade dois anéis. Um anel está inserido no outro. Um é o interior e o outro é o exterior.
Tem quatro luas interiores Métis, Adrástea, Tebe e Amalteia.

Blog: Os pequenos grandes astrónomos do 7E | 3 Jun 2009, 2:12 pm

Os Eclipses Solares

O que são Eclipses?
Os Eclipses são a ocultação parcial ou total de um astro por sobreposição de outro.
O que são Eclipses Solares?
Os Eclipses Solares ocorrem quando a Lua se interpõem entre a Terra e o Sol, tapando a sua luz numa estreita faixa terrestre.
Quando acontecem os Eclipses Solares?
Os Eclipses Solares acontecem quando é Lua nova e esta está entre a Terra e o Sol, perfeitamente alinhados.













Pode acontecer que a sombra ou penumbra da Lua se projecte em partes da Terra e assim dá-se um eclipse Solar.
Contudo, na Terra, se nos locais onde se projectam a sombra da lua, se não
conseguimos ver o Sol dá-se um eclipse total do Sol.









Mas nos locais da Terra que ficam na zona de penumbra o eclipse do Sol é parcial.










Como nos podemos proteger dos Eclipses Solares? E porquê?
Devemo-nos proteger para evitarmos problemas em termo de vista porque podemos ficar cegos. Para nos proteger-mos do Eclipse Solar temos de usar um aparelho próprio que são os óculos de protecção especiais.
Por que razão não há eclipses Solares sempre que é Lua cheia ou Lua nova?
Os Eclipses Solares não ocorrem sempre que está Lua cheia porque as orbitas dos três astros (Terra, Sol e Lua) não estão sempre perfeitamente alinhados.







Blog: Os pequenos grandes astrónomos do 7E | 3 Jun 2009, 2:06 pm

O Sistema Solar


Sistema Solar

O Sistema Solar tem vários astros, eles são:
- Sol;
- Planetas;
- Luas;
- Asteróides;
- Cometas;
- Meteoróides;


O Sistema Solar nasceu há cerca de 5 mil milhões de anos, a partir de uma gigantesca nuvem de gás e poeira que girava lentamente sobre si própria e se foi aglomerando. O Sol formou-se quando, no centro dessa nuvem, reacções nucleares originavam energia. Os órgãos de poeira que ficaram a girarem mais perto da estrela acabada de formar condensaram-se e originaram os planetas Mercúrio, Vénus, Terra e Marte. Dos gases mais leves e afastados resultaram Júpiter, Saturno, Úrano e Neptuno. De outros pequenos fragmentos da nuvem resultaram luas, asteróides, cometas, e meteoróides.







Sol

O Sol é a estrela que nos ilumina e aquece. Parece-nos a maior e a mais brilhante de todas as estrelas que vemos no céu porque é a que está mais perto da Terra. Mas tal como as outras estrelas, o Sol é uma enorme esfera de gás que produz energia que irradia para o espaço. No núcleo central do Sol, onde a temperatura é cerca de 15 000 000 ºC, ocorrem reacções nucleares que produzem a energia emitida. Essa energia demora mais de 1 milhão de anos a chegar à superfície visível do Sol – Fotosfera – onde a temperatura já é apenas de 5800ºC. Na superfície do Sol observam-se facilmente manchas escuras – manchas solares – que correspondem a zonas mais frias.
Para além da fotosfera, encontram-se a atmosfera solar. A cromosfera é a zona inferior da atmosfera solar. Tem uma espessura média de 5000km. Através dela saem labaredas de gases incandescentes, as protuberâncias.
A coroa é a região mais exterior da atmosfera solar, onde a temperatura sobe até 1 000 000ºC. Estendesse por milhões de quilómetros no espaço.
Da coroa solar são constantemente enviados para o espaço interplanetário partículas com carga eléctrica que constituem o vento solar.

O Sol tem um ciclo de actividade que dura cerca de 11 anos: na fase calma, observam-se na fotosfera poucas manchas solares; quando a actividade é grande há muitas manchas solares.
A cromosfera e a coroa solar só são visíveis quando o enorme brilho da fotosfera é ofuscado por um eclipse total do Sol.















O Sol tem movimento de translação: move-se em conjunto com as outras estrelas da Via Láctea à volta do centro da galáxia. Demora 225 milhões de anos para efectuar uma volta completa.

O Sol também roda sobre si próprio: tem movimento de rotação. Como é gasoso, não tem limites definidos e não roda todo à mesma velocidade! As zonas do equador demoram 25 dias para efectuar uma rotação completa, enquanto as zonas polares precisam de 30 dias.A massa do Sol é muito maior do que a do conjunto de todos os outros astros que constituem o Sistema Solar (cerca de 98 % da massa do sistema solar). Esta grande massa é responsável pelos movimentos de todos os astros que giram à sua volta.


Sol
O Sol é uma estrela muito instável, de meia-idade, ilumina o Sistema Sola há cerca de 5 mil milhões de anos e continuará a brilhar outros 5 mil milhões de anos!
Massa: 333 mil vezes maior que a da Terra.
Diâmetro: 1,4 milhões de quilómetros (equatorial).
Temperatura: 5800ºC (na fotosfera).
Período de Rotação: 25 dias (na zona do equador).




Planetas

Mercúrio, Vénus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Úrano, Neptuno são os 8 planetas do Sistema Solar. Mercúrio é o mais próximo do Sol e o menor de todos.
Neptuno é o mais afastado do Sol.




Trabalho Realizado por:
Solange Silva 7ºE Nº25
Rodrigo Aleixo 7ºE Nº24

Blog: Os pequenos grandes astrónomos do 7E | 3 Jun 2009, 1:47 pm

Visita à Exposição "Evolução de Darwin"

No dia 23 de Abril pelas 14 horas a nossa turma foi visitar a exposição a “Evolução de Darwin” na Fundação Calouste Gulbenkian. Tivemos uma visita guiada com um dos membros da fundação.

A exposição estava dividida em três módulos:
• O 1º – Antes de Darwin
• O 2º – Viagem do Beagle
• O 3º – Após Darwin

Começamos por conhecer as ideias das pessoas naquela época. Aos animais fora do normal chamavam de “monstros”. Vum porco com 5 pernas, conservado, o peixe ouriço, tarântulas, cobras, borboletas, um polvo gigante, etc.…
Depois vimos a sala das curiosidades, onde se encontravam animais com tamanhos diversos, com aspectos diferente da realidade, no fundo colecções de animais que não eram comuns.




A seguir falamos de Lineu, que classificou as plantas e os animais, agrupando-as pelas sua características .Vimos uma representação de um sagui que foi dado por uma Rainha a Darwin. De seguida vimos um filme em que explicava que a partir do nosso esqueleto se o esticassemos ou dobrassemos podíamos chagar ao esqueleto de uma égua.











Na exposição encontra-se uma representação do barco Beagle, tal como uma reconstituição da figura de DArwin em tamanho natural a segurar um escaravelho na mão. Uala com uma perdiz e com uma lebre e um quadro com vários tipos de escaravelhos, permite-nos perceber quais eram as actividades preferidas de Darwin. Na exposição também épossivel ver muitas das cartas que Darwin escreveu a seu pai e ao tio, principalmente aquelas que antecederam a sua viagem no Beagle.
OS ESCARAVELHOS

O BEAGLE





Também vimos 6 tipos de animais que estavam lá e estavam vivos:
OS SURICATAS

AS PIRANHAS


UMA JIBOIA



AS TARTARUGAS


OS MACACOS



E OS LAGARTOS GIGANTES



Depois de veremos os animais vivos, entrámos no 2º modulo – a viagem no Beagle.
Um mapa mostra as paragens que foram feitas ao longo desta viagem.
Ele passou pelos Açores mas não chegou a visitar nenhuma das ilhas, pois havia o boato de haver lá uma epidemia. Aconteceu o mesmo nas ilhas Canárias. A 1ª paragem ocorreu em Cabo Verde e a última na ilha da Madeira.
Depois disto nos vimos uma montagem da parte interior do barco onde Darwin e os tripulantes dormiam, comiam e passavam o tempo.
Passámos a uma sala onde podiamos ter uma percepção do que Darwin observou nas ilhas Galápagos, e que veio dar origem à teoria da evolução das espécies. Animais da mesma espécie, que habitavam em ilhas próximas, apresentavam características diferentes.
Também vimos que as margaridas nas ilhas Galápagos, eram árvores em vez de flores, vimos uma carapaça de um um sapo a esconder-se no seu habitat para passar desprevenido, vimos a diferença entre dois tipos de carapaças de tartaruga e as cores de dois pássaros ,um que já estava habituado e outro que não estava habituado ao seu habitat.
A seguir disto, vimos imagens dele a chegar a Inglaterra e do sucesso que teve.
Foi Darwin que criou “a árvore da vida” que era um símbolo que representava todas as espécies que ele viu, numa árvore genealógica.
Também vimos uma imagem da sua mulher, a sua prima, ele teve dez filhos e três deles morreram.
Vimos imagens de partes da sua casa como por exemplo a sua biblioteca.
Darwin não quis publicar logo o seu livro, porque ainda avia coisas por explicar e por entender.
Darwin depois do sucesso que teve, fez muitos amigos dos quais um deles era português, que lhe mandou uma carta a fazer perguntas sobre “a evolução das espécies” do qual Darwin recomendou-lhe um livro de um amigo mas como o português era pobre Darwin compro-lhe o livro e ficaram ainda mais amigos.
Darwin não queria publicar logo o seu livro quando chegou a Inglaterra porque queria primeiro investigar tudo o que viu e descobriu.
Mas houve um contra tempo, um amigo de Darwin que tinha enviado uma carta com as mesmas ideias sobre a evolução e que ia publicar um livro.
Então apressou-se nas suas investigações e publicou o livro mais rápido do que esperava.
Antes de morrer, Darwin ainda tinha uma coisa por explicar, a genética (pais para filhos).
Mais tarde um senhor descobriu e explicou o que Darwin não conseguiu com a técnica das ervilhas.
E finalmente vimos um painel com a evolução da cabeça do homem (caveiras), desde o australopiteco aos dias de hoje e uma fotografia de Darwin na sua idade mais velha.

Trabalho realizado por:
• Alexandra
• Inês
• Lara
Se quiser ter uma visita guiada clique no link abaixo:
http://www.gulbenkian.pt/index.php?section=119&artId=1632

Em breve colocaremos mais imagens!

Blog: Os pequenos grandes astrónomos do 7E | 3 Jun 2009, 1:40 pm

As marés


O nível do mar sobe e desce duas vezes por dia em qualquer lugar da superfície terrestre.
Há milhares de anos os que os homens sabem que a Lua tem alguma relação com as marés.
As marés ocorrem devido ao campo magnético que existe na Terra e devido à força gravítica da Lua e do Sol.
Só no século 17 Newton explicou correctamente as marés oceânicas tendo em conta a interacção gravítica da Lua e do Sol com a Terra.
Verifica-se que é maré-cheia nos locais que se encontram mais perto da Lua e é maré-baixa, quando a Lua se encontra mais afastada da Terra
.

Blog: Astro2009 | 29 May 2009, 4:08 pm

O asteróide 99942 Apophis

A NASA está bastante preocupada com o assunto que nós vamos tentar explicar-vos neste texto. Achamos que este assunto é da importância de todos, pois muitas vezes vemo-lo ficcionado no cinema, mas agora é bem real.

Há um perigo no espaço que está a preocupar muito gente. O asteróide 99942, Apophis, descoberto em 2004, tem uma órbita elíptica. Os astrónomos calcularam que existe uma probabilidade de 1 em 25 mil de o asteróide mudar de órbita e colidir com o nosso planeta.

Os cientistas pensaram nesta situação. Existem duas opções para o impedir de colidir com o nosso planeta, a primeira opção é alterar a sua órbita da seguinte maneira: a nave espacial usa a força de atracção gravitacional do asteróide, mantendo-se próxima dele e depois prende o asteróide e desvia-lhe a órbita através dos propulsores da nave.

Mas existe outra opção. Podemos fazê-lo explodir enviando um míssil. Mas neste caso existirá o perigo de caírem detritos da explosão com dimensões consideráveis na Terra.

Se nenhuma destas opções resultar, embora as hipóteses de acontecer uma catástrofe sejam extremamente remotas, se o asteróide cair, como já tinha referido antes, haverá grandes alterações no planeta. (Calcula-se que possa passar no campo gravitacional da Terra no dia 13 de Abril de 2036).

Blog: Astro2009 | 29 May 2009, 3:16 pm

Chuva de Meteoros










Os meteoros consistem em pequenas partículas sólidas que vêm do espaço, que quando entram na atmosfera terrestre deixam para trás um rasto brilhante. Este fenómeno resulta da fricção gerada nas camadas superiores da atmosfera e das altas temperaturas que provocam a combustão de gases.
Este fenómeno pode ser observado a olho todos os dias, a qualquer hora, em locais com boas condições de visibilidade, isto é, longe de fontes luminosas.
Existem certas alturas em que se pode observar centenas de meteoros por hora – as chamadas “chuvas de estrelas”. Nestas ocasiões um grande número de meteoros atravessa a atmosfera terrestre. Estes períodos acontecem, quando a Terra no seu movimento de translação em redor do Sol, atravessa regiões de grande concentração de pequenas partículas rochosa, deixadas por cometas ou asteróides que se encontram no nosso Sistema Solar.
Raramente, alguns pedaços rochosos maiores atravessam a atmosfera e chegam à Terra, provocando uma cratera de dimensões variáveis.





Aqui encontra-se um calendário de chuvas de meteoros mais importantes:

Nome da “Chuva de Estrelas”
Período de actividade
Radiante
Quadrantidas
2 - 5 Janeiro
Entre Boieiro e Ursa Maior
Aquáridas
5 – 6 Maio
Na parte norte de Aquário
Perseidas
11 – 13 Agosto
No Perseu
Oriónidas
20 – 23 Outubro
Entre Orionte e Gémeos
Táuridas
2 – 5 Novembro
Entre as Pleiades e as Híades
Leónidas
17 – 18 Novembro
Perto da cabeça do Leão
Gemínidas
13 – 14 Dezembro
Perto do Castor, nos Gémeo
Fonte: http://teknospace.no.sapo.pt/meteoros.htm

Blog: Os pequenos grandes astrónomos do 7E | 27 May 2009, 2:19 pm

Galieu Galilei



Galileu Galilei nasceu no dia 15 de Fevereiro de 1554, na cidade de Pisa, em Itália.
Herdou do pai o gosto pela música e aptidão pela Matemática e da mãe o carácter forte, a persistência. Com apenas 17 anos começou a estudar Medicina, na Universidade de Pisa, onde permaneceu durante quatro anos. Abandonou esse curso para se dedicar ao estudo da Física, Astronomia, e Matemática.
Descobriu a lei dos corpos, a balança hidrostática e enunciou o princípio da Inércia.
No sec. XVII Galileu desenvolveu o seu telescópio Astronómico. Foi o primeiro a observar alguns astros do Universo: as montanhas da Lua, as manchas solares, os quatro principais satélites de Júpiter e as fases de Vénus.
Em 1632, Galileu afirmou que a Terra girava em torno do Sol, o que contrariava a teoria que era aceite pela igreja católica. A sua teoria Heliocêntrica foi publicada em “Dialogo Sopra i Due Massimi Sistemi del Mondo”, mas os diálogos foram proibidos pela Igreja. Galileu foi várias vezes interrogado e ameaçado. No entanto, Galileu permaneceu com as suas convicções.
Mas foi obrigado a negar todas as suas afirmações publicamente, tendo sido condenado a viver em prisão domiciliária, pela Inquisição. Nesta fase da sua vida escreveu obras que foram secretamente publicadas na Holanda em 1638.
Galileu faleceu cego, aos 78 anos de idade, no dia 8 de Janeiro de 1642.

Blog: Astro2009 | 15 May 2009, 3:45 pm

A Engenharia Aeroespacial no Instituto Superior Técnico em Portugal

No dia 5 de Março de 2009, houve uma palestra na nossa escola, com o professor Doutor Fernando Lau. Este professor do Instituto Superior Técnico veio-nos falar sobre o curso de engenharia aeroespacial. Este curso, que teve início em 1991, tem uma média de acesso entre 17 e 20 valores.
Nesta palestra ficamos a saber quais as características principais das aeronaves, assim como as áreas fundamentais da Aerodinâmica: a propulsão e as estruturas, que se relaciona essencialmente com os aspectos mecânicos e construção das aeronaves. Os engenheiros Aeroespaciais trabalham nos sistemas electrónicos usado a bordo do avia, que permitam o controlo do voo e telecomonicaçoes. O avião tem de ter um esqueleto para reforçar a estrutura do exterior. E é nas suas asas que o combustível se situa como é muito grande e pesado, o avião tem que andar muito rápido para não cair.
Também foi referida que os alunos e professores deste curso, têm uma participação no trabalho realizado pela NASA, é um aagencia qie pertence aos Estados Unidos da América. No entanto a maior contribuiçao ocorre com a ESA, a agencia espacial Europeia.

Blog: Astro2009 | 8 May 2009, 4:04 pm

Biografia de Darwin


O biólogo e naturalista Charles Darwin nasceu em 1809 em Shewbury uma cidade situada em Inglaterra e faleceu a 1882.
Charles Darwin matriculou-se na Universidade de Cambridge, no curso de artes. No entanto o seu passatempo preferido era ler livros de história natural e coleccionar escaravelhos.
A razão de ele ir na expedição foi tentar descobrir a razão da grande diversidade de animais.
Durante 5 anos ele esteve numa viagem, às ilhas da América do sul, Nova Zelândia e Austrália tendo partido em 27 de Dezembro de 1831 no barco “HMS Beagle”.
Ficou espantado com enorme número de espécies de animais e de plantas que eram desconhecidos.
O principal objectivo da expedição foi fazer um levantamento cartográfico da América do Sul, com vista à produção de informação passível de ser utilizada em guerras navais e em comércio. O que ele gostou mais foram as incontáveis diversidades de espécies que só viu nas ilhas dos Galápagos.

Blog: Astro2009 | 8 May 2009, 4:03 pm

A palestra de Marte











No dia 27 de Novembro houve na escola E.B 2,3 Matilde Rosa Araújo uma Palestra sobre Marte, onde todas as turmas foram representadas por dois aluno,. O professor José Saraiva explicou-nos se havia ou não vida em Marte e mostrou-nos algumas imagens deste planeta, como por exemplo a “ Cara Mistério “. Disse-nos que foram enviadas sondas espaciais para Marte, como por exemplo as “ Vikings “ 1 e 2 que foram as primeiras sondas espaciais a funcionar em Marte.
Mostrou-nos também imagens de robôs que foram enviados para Marte e também robôs que iram ser mandados para Marte.

Blog: Astro2009 | 8 May 2009, 3:49 pm

Descobre o teu céu

No 1º período a nossa turma participou no concurso “Descobre o teu Céu” . Este evento foi promovido pelos Museus da Ciência da Universidades de Coimbra e de Lisboa, em parceria com a Critical Software e com o apoio do Público on line.

Neste concurso pretendia-se que os participantes construíssem novas constelações e desenvolvessem histórias a elas associadas.

A partir de imagens do céu tiradas do stellarium escolhemos uma zona, onde desenhámos várias constelações e escolhemos uma. Com essas constelações fizemos uma história.

Nós vamos apresentar uma dessas constelações e a história que associámos.

Blog: Astro2009 | 8 May 2009, 3:23 pm

Nebulosas

As Nebulosas são nuvens de poeiras, Hidrogénio e Plasma. São constantemente regiões de formação estelar.
O processo de formação das estrelas é muito violento e podem formar grande número de planetas e de sistemas planetários.
Durante o processo de explosão,os materiais lançados para o espaço.Existem varios tipos de nebulosas:as de emissão, reflexão,escura e planetarias.
A nebulosa de Orion , e um exemplo de uma nebulosa de emisão.Estas nebulosas caracterizam-se por difundirem energia em forma de radiação e por terem uma cor avermelhada.
As nebulosas de reflexão são nuvens de poeiras que refletem a luz das estrelas que se encontram na sua vizinhança.
A Nebulosa da Tarântula é conhecida como 30 douradas ou NGC 2070. Pertence à Grande Nuvem de Magalhães e localiza-se na constelação Peixe-Espada e é maior nebulosa de emissão. Tratava-se de uma estrela, mas em 1751 Abble Lacaille identificou-a como uma nebulosa.
Esta nebulosa possui magnitude aparente de 8 e a sua distância aproximada é de 160.000 anos-luz. É a mais activa do Grupo Local.



Nebulosas Escura

As Nebulosas escuras são grandes nuvens moleculares que aparecem em regiões pobres em estrelas, onde o pó do meio interestelar parece estar concentrado. Estas podem ser vistas a obscurecer parte de uma nebulosa de emissão ou reflexão.É possivel observar este tipo de nebulosas na nossa galàxia,pois nessas zonas observam-se manchas mais escuras.A nebulosa escura mais conhecida e a nebulosa cabeça de cavalo,que se situa na constelação de Orion.



Nebulosas de Olho-de-Gato
Uma das nebulosas planetarias mais curiosas é a Nebulosas de Olho-de-gato. É uma nebulosa planetária que se encontra na constelação Dragão e foi descoberta por William Herschel em 15 de Fevereiro de 1786.


Blog: Os pequenos grandes astrónomos do 7E | 6 May 2009, 2:28 pm

Descobre o teu céu

Em Dezembro de 2008 a turma do 7ºE da Escola Matilde Rosa Araújo participou no Concurso “Descobre o teu Céu”. Este concurso foi promovido pelo Museu da Ciência da Universidade de Coimbra e pelo Museu da Ciência da Universidade de Lisboa.
Esta iniciativa pretendia não só desenvolver o gosto pela Astronomia, mas também estimular o espírito de observação, a criatividade e capacidade imaginativa dos concorrentes e simultaneamente, encorajar a pratica da escrita. Formamos grupos de 5 alunos. Cada grupo seleccionou um mapa, de quatro zonas seleccionadas no Hemisfério Norte. A partir das estrelas representadas construímos novas constelações às quais foram associadas histórias.
Este é um dos trabalhos realizados na aula e quisemos partilha-lo convosco.

Blog: Os pequenos grandes astrónomos do 7E | 6 May 2009, 2:26 pm

A Via Láctea

Em noites limpas sem lua, longe das luzes da cidade pode-se observar no céu uma parte nebulosa atravessando o hemisfério celeste de um lado ao outro.
Essa parte nebulosa chama-se Via Láctea devido ao seu aspecto que, aos povos antigos parecia um caminho esbranquiçado como o leite.
A sua parte mais brilhante esta na direcção da constelação Sagitário.
No ano de 1609, Galileu Galilei, quando apontou o seu telescópio para a Via Láctea, observou que ela era constituída por uma enorme parte de estrelas.
Ao terminar o séc. XVIII, o astrónomo William Herschel, famoso por ter descoberto o planeta Úrano, traçou a Via Láctea com o seu telescópio de 1,2m de diâmetro, dizendo que todas as estrelas tinham a mesma luminosidade.
Herschel contou o máximo de estrelas que podia, observando as diferentes direcções, concluindo que a Galáxia era um planeta achatado.
Como ele aparentemente observava o mesmo número de estrelas em qualquer linha de vista ao longo do plano, concluiu que o Sol provavelmente estava no centro da Galáxia.

Blog: Os pequenos grandes astrónomos do 7E | 6 May 2009, 2:06 pm

Os Cometas











Os cometas são uma mistura de gelo e pedra, que se mantêm quase inalterados desde a formação do Sistema Solar. Consistem num núcleo sólido, geralmente com apenas alguns quilómetros de diâmetro. Possuem um centro rochoso e têm uma órbita elíptica em torno do Sol. A estrutura dos cometas é muito dinâmica e desenvolvem uma nuvem de matéria difusa chamada a coroa.
A coroa e o núcleo juntos formam a cabeça dos cometas. Quando os cometas se aproximam do Sol formam cauda de matéria luminosa.







O último cometa a ser visto da terra foi o cometa LULIN no dia 23 de Fevereiro de 2009 as 23h00.De acordo com as últimas observações, o cometa é visível a olho nu e encontra-se na constelação de Virgem com a magnitude de 5 ou ainda mais brilhante. A sua aproximação máxima ao nosso planeta dar-se-á no dia 24 deste mês devendo atingir o seu maior brilho.







Um dos cometas mais conhecido e visíveis a olho nu é o cometa Halley. O período médio da órbita de Halley é de 76 em 76 anos. O cometa Halley foi visto em 1910 e novamente 1986. A sua próxima passagem será em 2061. Halley é quase o único entre os cometas, pois é grande e activo e tem uma órbita regular e bem definida.







Decidimos partilhar com todos aqueles que consultam o nosso blog este tema, porque achamos muito interessante e por já termos abordado este assunto nas aulas de Ciências Físico-Químicas

Blog: Os pequenos grandes astrónomos do 7E | 29 Apr 2009, 2:11 pm

Pela Lua se tiram as Marés


Investigava a Lua,
Numa noite gasta da história,
Quando a maré se levantou e disse:
-Estou cansada de marear,
Com uma nesga de luar.
Por causa dessa revolta,
Em cada reviravolta,
Seja Nova ou Lua Cheia,
Praia-mar às duas e meia.
Via o mar entorpecido,
Num dia extinto da memória,
Quando a Lua parou e disse:
-Estou cansada de ver-o-mar,
Como se estivesse a marinar.
Por vezes fico pensando,
Se é por causa desse desmando,
Que Lua fora,
Lua posta
É um quarto de maré na costa!?
Para responder à pergunta da nossa professora de C.F.Q: "Porque existem as marés??" fomos pesquisar e encontrámos este poema neste blog:http://www.desambientado.blogspot.com/ e decidimos partilhá-lo convosco.


Blog: Os pequenos grandes astrónomos do 7E | 29 Apr 2009, 1:48 pm

Universo de Culturas


Este é o tema da semana da Escola, que irá decorrer entre 20 e 24 de Abril. As actividades que se irão realizar são diversificadas, onde participarão professores das diferentes disciplinas e seus alunos. Os professores de Ciências da Natureza e de Ciências Físico-Químicas, terão no dia 21 o Laboratório Aberto, onde apresentarão algumas experiências, que os visitantes deverão tentar explicar. Muitas destas actividades podem ser realizadas em casa, com material muito simples. Os nosso trabalho de Área de Projecto também será divulgado. Todos os visistantes do Laboratório Aberto terão oportunidade de visitar o nosso blog e deixar a sua opinião. Aguardamos ansiosos.

Blog: Astro2009 | 21 Apr 2009, 12:43 am

Universo de Culturas


Este é o tema da semana da Escola, que irá decorrer entre 20 e 24 de Abril. As actividades que se irão realizar são diversificadas, onde participarão professores das diferentes disciplinas e seus alunos. Os professores de Ciências da Natureza e de Ciências Físico-Químicas, terão no dia 21 o Laboratório Aberto, onde apresentarão algumas experiências, que os visitantes deverão tentar explicar. Muitas destas actividades podem ser realizadas em casa, com material muito simples. Os nosso trabalho de Área de Projecto também será divulgado. Todos os visistantes do Laboratório Aberto terão oportunidade de visitar o nosso blog e deixar a sua opinião. Aguardamos ansiosos.

Blog: Os pequenos grandes astrónomos do 7E | 21 Apr 2009, 12:26 am

100 Horas na Quinta do Conde - Anime

Amigos astrónomos, aqui ficam umas ideias sobre as 100 horas na Quinta do Conde, Concelho de Sesimbra.Dias 2, 3, 4 e 5Observação do Sol com um telescópio H-alpha. Apesar de se tratar de um aparelho pequeno, as imagens observadas são espectaculares! Devido a este tipo de filtro, conseguem distinguir-se perfeitamente as protuberâncias solares. E ouviram-se muitas exclamações de espanto quando os

Blog: 100 Horas de Astronomia | 18 Apr 2009, 10:39 am

Nos Açores

Ando um pouco ocupado, e sem tempo para por mais relatórios de actividades aqui no Blog.Para já, aqui fica a reportagem que a RTP Açores fez sobre a actividade que a Doutora Ana Mourão (CENTRA/IST) organizou em quase todas as ilhas dos Açores. Esta foi na ilha das Flores. A qualidade não é das melhores, mas não é da conversão... É mesmo o original que está com uma qualidade não muito boa.

Blog: 100 Horas de Astronomia | 17 Apr 2009, 6:15 pm

100 Horas em Coruche

As 100 Horas estiveram espalhadas por todo o continente e quase todas as ilhas dos Açores.Infelizmente não foi possível ter actividades na Madeira, para que o território nacional estivesse totalmente coberto.Desta vez o relato vem mesmo do centro, do "meu" Ribatejo, mais concretamente da zona de Coruche. As fotos abaixo foram enviadas pelo Jacinto Castanho.E aqui fica o relatório da actividade

Blog: 100 Horas de Astronomia | 11 Apr 2009, 7:23 pm

Olhos no Sol: Reportagem RTP

Foi com alguma dificuldade que conseguimos ir buscar a Reportagem que passou no programa Bom dia Portugal no dia 6 de Abril de 2009. Aqui está ela:

Blog: 100 Horas de Astronomia | 8 Apr 2009, 4:52 pm

Volta ao Mundo em 80 Telescópios

Se perderam a transmissão em directo do webcast 24 horas "A Volta ao Mundo em 80 Telescópios", não se preocupem porque toda a maratona está disponível na página internacional das 100 Horas de Astronomia.Podem ver todas as 24 horas, ou então escolher apenas os vossos telescópios favoritos. Pessoalmente eu recomendo o observatório de Calar Alto, já que o director é um astrónomo Português, o Doutor

Blog: 100 Horas de Astronomia | 6 Apr 2009, 6:44 pm

Dia do Sol no OAUC

Mais uma vez tivemos o privilégio de contar com o Observatório Astronómico da Universidade de Coimbra numa das actividades do Ano Internacional da Astronomia.O "Dia do Sol" das 100 Horas de Astronomia foi ontem, e aqui fica uma das imagens obtidas pelo Observatório. Mais uma vez, os meus agradecimentos a Adriana Garcia pelo disponibilidade.

Blog: 100 Horas de Astronomia | 6 Apr 2009, 6:25 pm

Ainda de olhos no Sol

Apesar do péssimismo pré-evento do nosso amigo Alexandre Aibéo, nos Arbutus do Demo, em Vila Nova de Paiva, estiveram quase 50 pessoas de "olhos no Sol".Este foi um dos eventos portugueses inseridos no "Dia do Sol", o último evento das 100 Horas de Astronomia. E deixem que vos diga, não é exactamente um sítio fácil de encontrar, pelo que as pessoas que lá foram, queriam MESMO lá estar.Além das

Blog: 100 Horas de Astronomia | 6 Apr 2009, 6:07 pm

Eu estive de Olhos no Sol!

Aqui está um resumo do que se passou. Mais informação em www.olhosnosol.pt.to.

Blog: 100 Horas de Astronomia | 6 Apr 2009, 5:41 pm

Que horas são?

Este é um dos Relógios de Sol que temos na nossa Astroteca.É um relógio equatorial, e marca bem as horas, convém é corrigir para a hora legal... Como estamos em período de hora de Verão, temos de acrescentar 1 hora ao valor marcado pela sombra do Sol.

Blog: 100 Horas de Astronomia | 6 Apr 2009, 5:09 pm

Be very, very quiet...

Hoje foi dia do Sol. Muitos telescópios estiveram apontados para a mesma estrela, mas não observaram muita actividade, pois o Sol está a passar por um mínimo. Este mínimo solar era previsto, mas desde 1913 que não era tão mínimo. Esperava-se que o Sol começasse agora um crescente de actividade até ao próximo máximo de 2010-2011, mas isto não está a acontecer. Por isso, os astrónomos solares já

Blog: 100 Horas de Astronomia | 6 Apr 2009, 12:30 am

Em pleno Atlântico...

... As coisas são bem diferentes!Aqui está uma fotografia impressionante. Tirada por quem esperava na ilha do Corvo a chegada dos palestrantes do IST, vindos das Flores.Quem disse que a Astronomia não era uma grande aventura?Vejam a descrição dos eventos nas Flores e no Corvo aqui. Vale a pena ler também o comentário no final da página.

Blog: 100 Horas de Astronomia | 4 Apr 2009, 8:00 pm

Público muito atento à "Volta ao Mundo em 80 Telescópios"!

Blog: 100 Horas de Astronomia | 4 Apr 2009, 7:55 pm

Ainda no CAUP...

Quanto é que eu peso em.... Júpiter??E no Sol?

Blog: 100 Horas de Astronomia | 4 Apr 2009, 7:35 pm

100 Horas no CAUP

Para já está a ser um sucesso!Ontem (dia 3) tivemos perto de 200 pessoas no edifício do Planetário do Porto e tiveram oportunidade de ver as exposiçoes "Da Terra aos Confins do Universo" e "Climatologia Espacial", o documentário "Eyes on the Skies" (de olhos no céu), a transmissão em directo d'"A Volta ao Mundo em 80 Telescópios" e observaram o Sol através do nosso telescópio com filtro H-Alfa.

Blog: 100 Horas de Astronomia | 4 Apr 2009, 5:14 pm

Hubble revela imagem "Você Decide"

Para celebrar as 100 Horas de Astronomia, o site americano do Telescópio Espacial Hubble lançou um concurso onde o público decidia qual o objecto da próxima observação deste telescópio.O vencedor foi o trio de galáxias Arp 274 (NGC 5679), na imagem abaixo.

Blog: 100 Horas de Astronomia | 3 Apr 2009, 7:00 pm

Volta ao Mundo em 80 Telescópios

Veja aqui em directo a transmissão. O alinhamento está disponível neste PDF.Devido a problemas com o canal de transmissão, muitos utilizadores não estão a conseguir ter acesso em directo. No entanto, podem ver os video gravados, com apenas 20 minutos de atraso, aqui.Free video streaming by Ustream

Blog: 100 Horas de Astronomia | 3 Apr 2009, 11:58 am

Marte: Imagens em 3D

Imagens em 3D de Marte


Para a visualização destas imagens é necessário que utilize os óculos 3D.

Montanhas de Marte

Vales e Atmosfera de Marte


Imagens captadas por uma sonda que aterrou em Marte

Montanhas captadas pelo instituto de Coimbra

Paisagem de Marte em 3D

Cara de Marte

Pedras de Gelo

Atmosfera em Marte

(Vulcão de Marte)


Tertúlia Galileana
Para que todos possam observar as imagens 3D de Marte, decidi partilhar convosco algumas imagens que visualizamos durante a Tertúlia Galileana e outras que pesquisei na Net. Para que possam observar correctamente estas imagens é preciso que utilizem os óculos 3D.

Blog: Os pequenos grandes astrónomos do 7E | 3 Apr 2009, 12:01 am

Amanhã damos a volta ao mundo... em 80 telescópios!

Se têm perguntas a fazer, dúvidas a esclarecer ou curiosidades a satisfazer sobre 1 dos mais de 80 observatórios & telescópios que participam no webcast de amanhã, enviem-nas para 80t-msg@eso.org ou @telescopecast (no twitter).A organização tentará ler o maior número de mensagens possíveis ao longo da "volta".

Blog: 100 Horas de Astronomia | 3 Apr 2009, 12:01 am

As primeiras 24...

Acabei por desistir de publicar todas as referências às 100 Horas que apareceram na imprensa. Foram imensas!Somemos a isso rádio e televisão , e temos um dia cheio e em cheio! Se fizeram actividades hoje, não se esqueçam de publicar aqui as vossas fotos e notas.Só consegui tirar fotos durante o início manhã, quando ainda estava tudo calmo no Planetário. Amanhã vou tirar fotos ao reboliço! Fica

Blog: 100 Horas de Astronomia | 2 Apr 2009, 11:08 pm

100 Horas de Astronomia na SIC

Hoje tive o privilégio de ser o convidado na Revista de Imprensa, da SIC Notícias. De seguida pediram-me para responder a algumas perguntas para a SIC Online sobre as 100 Horas de Astronomia. Podem consultar essa entrevista aqui.

Blog: 100 Horas de Astronomia | 2 Apr 2009, 8:32 pm

Live Blogging

O projecto IYA2009 Cosmic Diary vai acompanhar as 100 Horas em Live Blogging a partir de 3 locais diferentes::: ESO (Garching - Alemanha), pelo Lee Pullen - podem acompanhar os preparativos frenéticos para o webcast de amanhã!:: Planetário de Yorkshire (Reino Unido), pela Sotira Trifourki:: Langitselatan (Indonésia), pela Avivah Riyadi

Blog: 100 Horas de Astronomia | 2 Apr 2009, 11:13 am

Público Online

Mais uma notícia 100 Horas. Agora no Público.

Blog: 100 Horas de Astronomia | 2 Apr 2009, 10:25 am

100 Horas de Astronomia Remota no Expresso

A Astronomia Remota no Expresso Online.A ler aqui!

Blog: 100 Horas de Astronomia | 1 Apr 2009, 2:45 pm

Twitter

As 100 Horas de Astronomia também podem ser seguidas no Twitter.Há muito o que seguir, mas eu recomendo o twitter nacional do AIA2009, o das 100 Horas e o twitter que vai acompanhar a "Volta ao Mundo em 80 telescópios".Se fizerem vídeos das vossas actividade, em particular das "astrofestas", podem coloca-los no YouTube.

Blog: 100 Horas de Astronomia | 1 Apr 2009, 12:51 pm

Destaque no Jornal "Metro"

A edição de hoje do jornal Metro, o jornal gratuito mais lido no país, deu destaque de primeira página às 100 Horas de Astronomia.Pode fazer download do jornal (em PDF), aqui.

Blog: 100 Horas de Astronomia | 1 Apr 2009, 11:00 am

100 Horas de Astronomia por terras de Moimenta da Beira

O Clube das Ciências da Escola EB2,3/S de Moimenta da Beira também se associa ao projecto do AIA2009 - 100 Horas de Astronomia.Assim, iremos promover no dia 2 de Abril, duas acções para a comunidade educativa e local.O Sistema Solar à nossa BeiraDurante esta tarde iremos dinamizar as seguintes actividades:- Observação do Sol com Telescópio usando um Filtro Solar;- Construção e utilização de

Blog: 100 Horas de Astronomia | 31 Mar 2009, 10:47 pm

sites pedro alves e joao pires

Decidimos criar no nosso blog uma lista de sites importantes sobre astronomia se conhecerem mais alguns sites importantes por favor indiquem-nos que nós publica-mos.

http://www.astroimagem.com/index.html - neste site vemos imagens sobre a astronomia e sobre a lua.

http://www.cosmobrain.com.br – neste site vemos imagens de eclipses totais da lua.

http://astronomia.web.st/main.htm - neste site vemos imagens sobre o ano internacional da astronomia.

http://www.zenite.nu – neste site vemos planetas, constelações e curiosidades.

http://www.nasa.gov – neste site vemos imagens sobre o dia da NASA e informações sobre as suas missões.

Blog: Os pequenos grandes astrónomos do 7E | 27 Mar 2009, 2:45 pm

Tsunami solar

Tsunami solar

Astrónomos capturaram as primeiras imagens de um "tsunami solar" varrendo a atmosfera do Sol a mais de 1 milhão de quilómetros por hora. O evento foi registado por câmaras do espaço naves gémeas Stereo, da NASA, em Maio do ano passado, mas só foram divulgadas agora. Este tipo de tsunami - que naturalmente não envolve água, mas uma onda de pressão - é causado por uma explosão próxima ao Sol, que faz com que um pulso se propague em um padrão circular. O fenómeno que aparece nas imagens durou, ao todo, cerca de 35 minutos, atingindo seu auge 20 minutos depois da explosão inicial, e foi estudado por cientistas do Trinity College, na Irlanda. "A energia liberada nestas explosões é fenomenal, cerca de 2 bilhões de vezes maior do que o consumo anual de energia da Terra em apenas uma fracção de segundo", disse David Long, um dos especialistas que estudou o fenómeno. "Em meia hora, vimos o tsunami cobrir quase todo o disco solar". Os astrónomos envolvidos na pesquisa dizem que o fenómeno foi apelidado de "tsunami solar" porque a onda de pressão no Sol se move exactamente como um tsunami na Terra, só que com gás quente no lugar da água.
Fonte: http://cienciasempre.blogspot.com/

Blog: Os pequenos grandes astrónomos do 7E | 26 Mar 2009, 8:29 pm

O gelado da astronomia com sabor a Galileu


A marca de gelados Bohemian Raspberry publicita o Galileu. Uma embalagem de gelados de baunilha e de chocolate é dedicada à banda dos Queen e à música “Bohemian Raspberry”.

Durante as nossas pesquisas nas aulas ficamos a saber que o guitarrista Brian May desta banda é especializado em astrofísica e recentemente a sua tese dedicada a luz zodiacal foi publicada em livro. O físico interrompeu o seu curso nos anos 70 para se dedicar à banda. Mas passado pouco tempo de Freddie Mercury falecer, retomou os seus estudos de astrofísico. Agora é reitor da "Universidade Liverpool John Moores ".

Blog: Os pequenos grandes astrónomos do 7E | 25 Mar 2009, 2:12 pm

Telescópio detecta aumento de 700 graus Célsius num planeta em poucas horas

O telescópio espacial americano Spitzer detectou uma variação de temperatura de 700 graus Célsius ocorrida em poucas horas num gigantesco planeta distante. O planeta HD 80606b tem três vezes o tamanho de Júpiter.

O telescópio da NASA notou que a temperatura do HD 80606b sobe dos já altos 530° C para cerca de 1230° C em apenas seis horas, ao se aproximar da estrela que orbita.   Durante o processo, o planeta é envolvido em fortes tempestades com ventos a mais de 18 mil km/h e sua temperatura sobe rapidamente.

“Assistimos ao desenvolvimento de uma das tempestades mais violentas da galáxia”, afirmou o astrónomo Greg Laughlin, do observatório Lick, na Califórnia, responsável pelo estudo sobre o planeta divulgado na publicação científica “Nature”. “Esta foi a primeira vez que detectamos mudanças climáticas em tempo real num planeta fora de nosso sistema solar.”

O planeta foi descoberto inicialmente em 2001 por uma equipe de cientistas localizada na Suíça. Ele está localizado a cerca de 190 anos-luz de distância na constelação de Ursa Maior.


Simulação computadorizada do planeta HD 80606b


Blog: AIA2009 | 24 Mar 2009, 6:06 pm

Astrónomos europeus fotografam “olho cósmico”

O Observatório Europeu do Sul (ESO, na sigla em inglês), que fica no alto de uma montanha em La Silla, no Chile, fotografou a nebulosa Hélix, que fica a uma distância de 700 anos-luz da Terra, na constelação de Aquário, e é conhecida como “olho cósmico”. A nebulosa é formada por gás e poeira lançados por uma estrela central de pouca luminosidade, já em vias de desaparecer. De acordo com o ESO, o principal anel da Hélix tem um diâmetro de cerca de dois anos-luz – ou seja, de mais de 18 triliões de quilómetros. Apesar da imagem espectacular, é difícil ver a nebulosa pois a sua luz é dissipada por uma vasta área do espaço. Hélix apareceu pela primeira vez na lista de objectos compilada pelo astrónomo alemão Karl Ludwig Harding, em 1824. O nome vem das primeiras fotografias tiradas, em que a nebulosa parecia ter um formato de saca-rolhas. Segundo o ESO, estudos indicam que ela é formada por pelomenos dois anéis externos. O disco interno, que pode ter sido formado há cerca de 12 mil anos, parece se estar a expandir a uma velocidade de 100 mil quilómetros por hora. Os astrónomos acreditam que a nebulosa está relativamente perto da Terra e que, por isso, pode ser estudada de maneira mais minuciosa, disse o ESO.

"olho cósmico"


Blog: AIA2009 | 24 Mar 2009, 5:54 pm

Asteróide passa de raspão pela Terra

Um asteróide passou bastante perto da Terra na manhã de segunda-feira (02-03-2009). Segundo informações dos astrónomos, o rochedo, com diâmetro entre 21 e 47 metros, passou a cerca de 70 mil quilómetros da superfície terrestre – o equivalente a um quinto da distância entre a Terra e a Lua. A informação foi divulgada pela Planetary Society, uma ONG internacional.

O objecto foi descoberto dois dias antes, por um astrónomo do Observatório Spring, na Austrália, quando se encontrava a 1,5 milhão de quilómetros de distância. Designado 2009 DD45, ele passou sobre o oceano Pacífico e foi, em tese, visível da Austrália, do Japão e da China. O astro deve ser similar ao objecto que colidiu com a Terra em 1908, sobre Tunguska, na Sibéria. Naquela ocasião, o asteróide explodiu no ar, devido ao contacto com a atmosfera, mas a onda de choque devastou as florestas da região.

asteróide


Blog: AIA2009 | 24 Mar 2009, 5:40 pm

Big Brother Espacial

Está prevista para Março o início da primeira fase do projecto Marte 500, uma parceria entre a Agência Espacial Europeia e a sua congénere russa. Esta experiência irá colocar 6 pessoas a viver em total isolamento dentro de instalações que simulam uma grande nave espacial. O objectivo é obter informações sobre como a longa permanência em isolamento pode afectar as condições de saúde e de trabalho de uma equipe de astronautas. Esta experiência irá ser realizada durante 105 dias pois é a quantidade mínima de dias necessários para efectuar uma viagem de ida e volta ao planeta vermelho. Os efeitos das longas permanências no espaço sobre o organismo humano são um dos tópicos mais pesquisados na ciência espacial. Já houve astronautas que passaram 7 meses na Estação Espacial Internacional, e o russo Valeri Polyakov já chegou a ficar 437 dias seguidos em órbita. Na órbita da Terra, os astronautas podem comunicar com qualquer pessoa situada na Terra em tempo real. Mas, na rota de Marte, o contacto pode levar até 20 minutos. Devido a este facto, a autonomia dos viajantes tem que ser maior. Em 2007, a Rússia realizou uma experiencia para testar as instalações da Marte 500 e conclui que a presença de mulheres não atrapalha o equilíbrio da tripulação. A primeira fase irá dura 105 dias e terá dois tripulantes europeus e quatro russos, dos quais uma é mulher.

Big Brother Espacial


Blog: AIA2009 | 23 Mar 2009, 7:23 pm

Sonda Phoenix

Phoenix é uma sonda espacial não-tripulada da NASA, lançada de Cabo Canaveral em 4 de Agosto de 2007, com o objectivo de pesquisar por moléculas de água na região do pólo norte do planeta Marte, onde pousou em 25 de Maio de 2008.Phoenix pousando em Marte (ilustração da NASA)

Lançada ao espaço por um foguete Delta II, a sonda consiste em um aterrissador dotado de um braço mecânico destinado a colectar amostras de solos, para análises físico-químicas.

Esta sonda espacial transporta um conjunto de instrumentos mais actualizados em relação aos utilizados na fracassada missão “Mars Polar Lander”.

O objectivo da sonda é a procura de água e ela pousou próximo ao pólo norte de Marte onde acredita-se existir água congelada.

Pouso este realizado no pólo norte do planeta, a missão deverá durar cerca de 150 dias marcianos e a Phoenix utilizará o seu braço robótico para cavar o solo marciano. Este solo é afectado pelas variações sazonais do clima nos pólos e poderá conter componentes orgânicos necessários para a vida.

Para analisar as amostras de solo colectadas pelo braço robótico, a sonda espacial transporta um aquecedor e um mini laboratório portátil de última geração. As amostras serão aquecidas para liberar seus componentes voláteis, que poderão então ter sua composição analisada quimicamente, além de outras características.

A sonda Phoenix herda as tecnologias de imagem embutidas nas missões Pathfinder e Mars Exploration Rover. Esta também possui uma câmara de alta definição e som estéreo no alto de uma coluna de 2 metros de altura. Esta câmara tem dois “olhos” que observarão as vizinhanças em alta resolução, a fim de localizar o melhor solo a ser escavado. Além disso, está equipada com uma câmara multi-espectral para a identificação dos minerais locais.



Construção da Sonda Phoenix

Além de pesquisas no solo, a Phoenix também pesquisará a atmosfera de Marte, monitorizando-a até uma altitude de vinte quilómetros, obtendo dados sobre a formação, duração e movimento das nuvens, dos nevoeiros e das tempestades de areia que caracterizam o planeta. Medirá também a temperatura e a pressão atmosférica no local de pouso.





Principais etapas realizadas pela sonda Phoenix:

- A sonda Phoenix começou a operar na superfície de Marte, após aterrar com sucesso no planeta. A Phoenix vai analisar amostras da terra e mandar o resultado para a Terra.

- Os cientistas da NASA receberam as primeiras imagens de uma região ainda não explorada de Marte enviadas pela sonda Phoenix.

- As imagens são do extremo norte de Marte. Foi nessa região que a sonda espacial Phoenix pousou.

- Uma área escavada pela sonda Phoenix atingiu uma camada de substância branca, dura e brilhante. Segundo cientistas, o material pode ser gelo acumulado no solo de Marte.

- A sonda Phoenix recolheu uma mostra do solo de Marte que está coberta com um material branco que pode ser gelo ou sais minerais. As análises da mostra vão determinar a existência de água no planeta.

- Em amostras de solo de Marte, foi encontrado vapor de água.

- A NASA anunciou que a sonda detectou neve na superfície marciana, proveniente de gases emitidos pelas nuvens do planeta, e testes de laboratório demonstraram interacção entre minerais e água em estado líquido.

- Análise de amostras do solo de Marte apontou a presença de perclorato.

Imagem de Phoenix a reunir amostras do solo de Marte

Imagem de Marte

Phoenix_Gelo


Blog: AIA2009 | 20 Mar 2009, 5:31 pm

Nicolau Copérnico – A teoria heliocêntrica

Nicolau CopérnicoNicolau Copérnico (Toruń, 19 de Fevereiro de 1473Frauenburgo, 24 de Maio de 1543) foi um astrónomo e matemático polaco que desenvolveu a teoria heliocêntrica do Sistema Solar. Foi também cónego da Igreja Católica, governador e administrador, jurista, astrólogo e médico.

Devido a estes factos anteriormente salientados, Copérnico é considerado nos dias de hoje o fundador da Astronomia moderna.

A teoria do modelo heliocêntrico, a maior teoria de Copérnico, foi publicada no seu livro, De revolutionibus orbium coelestium (“Da revolução de esferas celestes”), durante o ano de sua morte, 1543. Apesar disso, esta teoria foi desenvolvida algumas décadas antes. O livro marcou o começo de uma mudança de um universo geocêntrico (a Terra esta parada no centro do Universo com todos os corpos celestes girando ao seu redor). Copérnico acreditava que a Terra era apenas mais um planeta que concluía uma órbita em torno de um sol fixo e que girava em torno do seu eixo todo dia.


È importante salientar que esta teoria foi proposta pela primeira vez pelo astrónomo grego Aristarco de Samos, mas só com Nicolau Copérnico e em especial com Galileu Galilei é que se tornou mais sustentada.

Desde da publicação do seu livro até aproximadamente 1700, poucos astrónomos foram convencidos pelo sistema de Copérnico, apesar da grande circulação de seu livro. Entretanto, muitos astrónomos aceitaram partes de sua teoria, e seu modelo influenciou muitos cientistas que viriam a fazer parte da história, como Galileu e Kepler, que conseguiram assimilar a teoria de Copérnico e melhorá-la. As observações de Galileu das fases de Vénus produziram a primeira evidência observacional da teoria de Copérnico. Além disso, as observações de Galileu das luas de Júpiter provaram que o sistema solar contém corpos que não orbitavam a Terra.


"Copérnico conversa com Deus" (Jan Matejko, 1872)

Os filósofos do século XV aceitavam o geocentrismo tal e qual como tinha sido estruturado por Aristóteles e Ptolomeu. Esse sistema cosmológico afirmava correctamente que a Terra era esférica, mas também afirmava erradamente que a Terra estaria parada no centro do Universo enquanto os corpos celestes orbitavam em círculos concêntricos ao seu redor. Essa visão geocêntrica tradicional foi abalada por Copérnico em 1537, quando este começou a divulgar um modelo cosmológico em que os corpos celestes giravam ao redor do Sol, e não da Terra. Essa era uma teoria de tal forma revolucionária que Copérnico escreveu no seu livro: “quando dediquei algum tempo à ideia, o meu receio de ser desprezado pela sua novidade e o aparente contra-senso quase me fez largar a obra feita”.

Naquele tempo a Igreja Católica aceitava essencialmente o geocentrismo aristotélico, (embora a esfericidade da Terra estivesse em aparente contradição com interpretações literais de algumas passagens bíblicas). Ao contrário do que se poderia imaginar, durante a vida de Copérnico não se encontram críticas sistemáticas ao modelo heliocêntrico por parte do clero católico. De facto, membros importantes da Igreja ficaram positivamente impressionados pela nova proposta e insistiram para que essas ideias fossem mais desenvolvidas. Contudo, Galileu Galilei ao defender a teoria heliocêntrica vai deparar-se com grandes resistências no seio da mesma Igreja Católica.

Como Copérnico tinha por base apenas suas observações dos astros a olho nu e não tinha possibilidade de demonstração da sua hipótese, muitos homens de ciência acolheram com cepticismo as suas ideias. Apesar disso, o trabalho de Copérnico marcou o início de uma grande mudança de perspectiva no que diz respeito à escala de grandeza do Universo: avanços posteriores na astronomia demonstraram que o universo era muito mais vasto do que supunham quer a cosmologia aristotélica quer o próprio modelo de Copérnico; a segunda diz respeito à queda dos graves.
A teoria heliocêntrica


Blog: AIA2009 | 20 Mar 2009, 4:29 pm

A Evolução de Darwin

Exposição de Darwin:
O tema da Área de Projecto na nossa escola é "De Galileu a Darwin, diminuindo distâncias entre nós e o Universo". Por esta razão decidimos divulgar a exposição A Evolução de Darwin que está a decorrer na Fundação Calouste Gulbenkian desde o dia 12 de Fevereiro, data do bicentenário do nascimento de Charles Darwin. Esta exposição pretende também celebrar 150 anos da publicação do livro A Origem das Espécies, obra fundadora da teoria da evolução.
No próximo dia 22 de Abril iremos visitar esta exposição.

Blog: Astro2009 | 20 Mar 2009, 4:07 pm

Telescópio Kepler

O telescópio Kepler foi colocada em órbita com  sucesso no dia 6 e Março, após o seu lançamento, efectuado a bordo de um foguetão Delta II,da base militar do Cabo Canaveral, na Florida (sudeste), confirmou a NASA.

Este telescópio de 1,03 toneladas está dotado de um espelho principal de 1,4 metros de diâmetro e de uma abertura de 0,95 metros.

O Kepler foi colocado em órbita heliocêntrica que o faz seguir a Terra em redor do sol.

O fotómetro, aparelho que serve para medir as grandezas luminosas, está munido de um plano focal com 95 milhões de pixeis que se assume como a maior objectiva fotográfica lançada no espaço pela Nasa.

Este telescópio ultra-sensível às variações luminosas vai fotografar durante pelo menos três anos mais de 100.000 estrelas que se assemelham ao nosso sol, mais quentes ou menos quentes, situadas na região do Cisne e da Lira da Via Láctea.

Trata-se da primeira missão da NASA concebida para detectar planetas, rochosos como a Terra, que orbitem estrelas de que não estejam muito próximas nem muito afastadas, de modo que as temperaturas possam manter a água em estado líquido à superfície, condição considerada essencial ao desenvolvimento da vida.

O telescópio espacial recebeu o nome em homenagem ao astrónomo alemão do século XVII Johannes Kepler, a quem se deve a descoberta de que os planetas descrevem elipses em torno do Sol e não círculos perfeitos.

Em busca de exoplanetas

O satélite europeu Corot, posto em órbita em 2006 para procurar exoplanetas (exteriores ao Sistema Solar), descobriu o mais pequeno até agora observado – com perto de duas vezes o diâmetro da Terra – mas muito próximo da sua estrela e muito quente, segundo anunciaram os astrónomos em Fevereiro.

Desde 1995, foram descobertos 337 exoplanetas em torno de estrelas, mas todos muito maiores do que a Terra e situados em zonas onde a vida é impossível.


Blog: AIA2009 | 18 Mar 2009, 1:39 pm

Isaac Newton

Sir Isaac Newton (Woolsthorpe, 4 de Janeiro de 1643 — Londres, 31 de Março de 1727) foi um cientista inglês, mais reconhecido como físico e matemático, embora tenha sido também astrónomo, alquimista, filósofo natural e teólogo. Sua obra, Philosophiae Naturalis Principia Mathematica, é considerada uma das mais influentes em História da ciência. Publicada em 1687, esta obra descreve a lei da gravitação universal e as três leis de Newton, que   fundamentaram a mecânica clássica.

Ao demonstrar a consistência que havia entre o sistema por si   idealizado e as leis de Kepler do movimento dos planetas, foi o primeiro a   demonstrar que o movimento de objectos, tanto na Terra como em outros corpos   celestes, são governados pelo mesmo conjunto de leis naturais. O poder   unificador e profético de suas leis era centrado na revolução científica, no   avanço do heliocentrismo e na difundida noção de que a investigação racional   pode revelar o funcionamento mais intrínseco da natureza.

Em uma pesquisa promovida pela renomada instituição Royal Society,   Newton foi considerado o cientista que causou maior impacto na história da   ciência. De personalidade sóbria, fechada e solitária, para ele, a função da   ciência era descobrir leis universais e enunciá-las de forma precisa e racional.

Newton estudou no Trinity College de Cambridge, tendo-se graduado em 1665. Um dos principais precursores do Iluminismo, seu trabalho científico sofreu forte influência de seu professor e orientador Barrow (desde 1663), e de Schooten, Viète, John Wallis, Descartes, dos trabalhos de Fermat sobre rectas tangentes a curvas; de Cavalieri, das concepções de Galileu Galilei e Johannes Kepler.

Em 1663, formulou o teorema hoje conhecido como óde Newton. Fez suas primeiras hipóteses sobre gravitação universal e escreveu sobre séries infinitas e o que chamou de teoria das fluxões (1665), o embrião do Cálculo Diferencial e Integral. Por causa da peste negra, o Trinity College foi fechado em 1666 e o cientista foi para casa de sua mãe em Woolsthorpe. Foi neste ano de retiro que construiu quatro de suas principais descobertas: o Teorema Binomial, o cálculo, a Lei da Gravitação Universal e a natureza das cores. Construiu o primeiro telescópio de reflexão em 1668, e foi quem primeiro observou o espectro visível que se pode obter pela decomposição da luz solar ao incidir sobre uma das faces de um prisma triangular transparente (ou outro meio de refracção ou de difracção), atravessando-o e projectando-se sobre um meio ou um anteparo branco, fenómeno este conhecido como Dispersão Luminosa. Optou, então, pela teoria corpuscular de propagação da luz, enunciando-a em (1675) e contrariando a teoria ondulatória de Huygens.

Tornou-se professor de matemática em Cambridge (1669) e entrou para a Royal Society (1672). Sua principal obra foi a publicação Philosophiae Naturalis Principia Mathematica (Princípios matemáticos da filosofia natural – 1687), em três volumes, na qual enunciou a lei da gravitação universal (Vol. 3), generalizando e ampliando as constatações de Kepler, e resumiu suas descobertas, principalmente o cálculo. Essa obra tratou essencialmente sobre física, astronomia e mecânica (leis dos movimentos, movimentos de corpos em meios resistentes, vibrações isotérmicas, velocidade do som, densidade do ar, queda dos corpos na atmosfera, pressão atmosférica, etc).

De 1687 a 1690 foi membro do Parlamento Britânico, em representação da Universidade de Cambridge. Em 1696 foi nomeado Warden of the Mint e em 1701 Master of the Mint, dois cargos burocráticos da casa da moeda britânica. Foi eleito sócio estrangeiro da Académie des Sciences em 1699 e tornou-se presidente da Royal Society em 1703. Publicou, em Cambridge, Arithmetica universalis (1707), uma espécie de livro-texto sobre identidades matemáticas, análise e geometria, possivelmente escrito muitos anos antes (talvez em 1673).


Blog: AIA2009 | 13 Mar 2009, 7:03 pm

Galileu Galilei

Galileu Galilei nasceu no dia 15 de Fevereiro de 1564 em Pisa. É filho de Vincenzio Galilei e de Giulia Ammannati di Pescia, e os seus antepassados pertenciam à alta sociedade de Pisa, apesar de a    família tivesse em decaído economicamente, conseguiam manter o prestígio  graças às boas tradições familiares que conservara e às boas relações de amizade  com os membros da alta aristocracia.

Galileu em 1581 iniciou os seus estudos de Medicina na Universidade de  Pisa (possivelmente a conselho de seu pai, desejoso que o seu filho renovasse o  prestígio de um dos seus antepassados que tinha sido um medico muito famoso). Como a orientação escolástico-galência do ensino da universidade não satisfazia as  esperanças de Galileu, este abandona a universidade e os estudos médicos e  transfere-se para a universidade de Florença para estudar matemática, mecânica e  hidrostática, onde sob a orientação de Ostílio Ricci (professor de matemática na  Escola de Belas Artes) descobre a sua inclinação. Foi nesta altura que inventou a  balança hidrostática, cujo mecanismo descreveu no breve tratado “La bilancetta”,  publicado em 1644.

Em 1589, Galileu com o apoio de Guidobaldo del Monte (matemático e admirador da sua obra) é admitido para leccionar matemática na Universidade de Pisa como clérigo e é aí que inicia o estudo do movimento do pêndulo (sendo o primeiro a pensar que este fenómeno permitiria fazer relógios muito mais precisos, e chegou já no final da sua vida a trabalhar no mecanismo de escapo que mais tarde originaria o relógio de pêndulo). Também foi em Pisa, que Galileu realizou as suas famosas experiências de queda de corpos em planos inclinados.

Em 1592, ainda sob a influência de Guidobaldo del Monte, consegue a cátedra de matemática na Universidade de Pádua, onde passaria os 18 anos seguintes “os mais felizes da sua vida”. Nesta universidade ensinou geometria, mecânica e astronomia.

Tendo sabido, a partir de um folheto, da construção do primeiro telescópio na Holanda, Galileu começa a construir os seus próprios modelos que vai melhorando até conseguir os melhores telescópios do seu tempo. Ele utilizava o telescópio, sobretudo, para fazer observações astronómicas e descobre: que a Via Láctea é composta de miríades de estrelas, os satélites de Júpiter (que o levaram a defender o sistema heliocêntrico de Copérnico, e as montanhas e crateras da Lua.

Estas descobertas levaram a que ele ficasse muito conhecido. E então Galileu sai de Pádua e regressa a Florença. Em 1611 foi convocado a Roma onde apresentou as suas descobertas ao Colégio Romano dos Jesuítas, onde se encontrava o futuro Papa Urbano VIII, de quem ficou amigo, e o cardeal Roberto Bellarmino, que reconhece as suas descobertas. No mesmo ano acede à Accademia dei Lincei.

Em 1614 estuda métodos para determinar o peso do ar, descobrindo que pesa pouco, mas não zero como se pensava até então.

Entre 1613 e 1615 escreve as famosas cartas copérnicas dirigidas a Benedetto Castelli, Pietro Dini e Cristina di Lorena, onde descreve as suas ideias inovadoras, que geram muito escândalo nos meios conservadores em que circulam, apesar de nunca terem sido publicadas ficando assim uma divisão de apoiantes e de opositores nas duas principais universidades clericais da Itália.

Em 1616 a Inquisição (Tribunal do Santo Ofício) pronunciou-se sobre a Teoria Heliocêntrica declarando que a afirmação de que o Sol é o centro imóvel do Universo era herética e que a de que a terra se move estava “teologicamente” errada, contudo nada fora pronunciado a nível científico. Foi proibido falar do heliocentrismo como realidade física, mas era permitido referir-se a este como hipótese matemática. Galileu é então chamado a Roma, novamente, para expor novos argumentos, tendo assim, a oportunidade de defender as suas ideias perante o Tribunal do Santo Ofício dirigido por Roberto Bellarmino, que decidiu não haver provas suficientes para concluir que a Terra se movia e que por isso admoestou Galileu a abandonar a defesa da teoria heliocêntrica excepto como ferramenta matemática conveniente para descrever o movimento dos corpos celestes. Tendo Galileu persistido em ir mais longe nas suas ideias foi então proibido de divulgá-las ou ensiná-las.

Apesar das admoestações, encorajado pela entrada em funções em 1623 de um novo Papa Urbano VIII, seu amigo pessoal e um espírito mais progressivo e interessado nas ciências do que o seu predecessor, publicou nesse mesmo ano Il Saggiatore (O Analisador), dedicado ao novo Papa, para combater a física aristotélica e estabelecer a matemática como fundamento das ciências exactas. Nele coloca em causa muitas ideias de Aristóteles sobre movimento, entre elas a de que os corpos pesados caem mais rápido que os leves. Galileu defendeu que objectos leves e pesados caem com a mesma velocidade na ausência de atrito, diz-se que subiu à torre de Pisa e daí lançou objectos com vários pesos, mas essa história nunca foi confirmada. Este livro era também a reposta a uma polémica que mantinha com o jesuíta Orazio Grassi que defendia o modelo cosmológico de Tycho Brahe segundo o qual a Terra estava fixa no centro do Universo, mas os planetas e outros astros giravam em torno do Sol, que por sua vez girava em torno da Terra. Orazio Grassi defendia também que os cometas eram corpos celestes, o que é correcto, enquanto Galileu defendia erroneamente que eram produto da luz solar sobre o vapor atmosférico.

Galileu, incentivado pelo Papa Urbano VIII, continua os seus estudos sobre o heliocentrismo (mas sempre como uma hipótese matemática útil pois simplificava os cálculos das órbitas dos astros e significavam um grande avanço cientifico, para a qual ninguém estava preparado) e escreve Dialogo sopra i due massimi sistemi del mondo (Diálogo sobre os dois grandes sistemas do mundo), onde defende o sistema heliocêntrico e a utiliza como prova a sua teoria incorrecta das marés. Esta obra foi seminal ao processo da Inquisição contra Galileu. O Papa tinha sugerido a Galileu escrever um livro em que os dois pontos de vista, o heliocentrismo e o geocentrismo, fossem defendidos em igualdade de condições e aceitou dar-lhe o Imprimatur, se assim fosse o livro. Quando terminou a obra em 1630, Galileu viaja a Roma para apresentá-la pessoalmente ao Papa (que estava muito ocupado faz apenas uma leitura brevíssima e entrega-a aos censores do Vaticano para avaliação, que demorou 2 anos).

O Papa sentiu que a aceitação do modelo heliocêntrico como ferramenta tinha sido ultrapassada e convocou Galileu a Roma para ser julgado, apesar de este se encontrar bastante doente. Após um julgamento longo e atribulado foi condenado a abjurar publicamente as suas ideias e a prisão por tempo indefinido. Reza a lenda que, ao sair do tribunal após sua condenação, disse uma frase célebre: “Eppur si muove!“, ou seja, “contudo, ela se move”, referindo-se à Terra.

Em 1638 quando já estava completamente cego publicou Discorsi e Dimostrazioni Matematiche Intorno a Due Nuove Scienze (a sua obra mais importante) em Leiden, Holanda, onde discute as leis do movimento e a estrutura da matéria.

Galileu Galilei, na verdade, morre em Arcetri rodeado pela sua filha Maria Celeste e os seus discípulos, de forma piedosa e de fé exemplar. É enterrado na Basílica de Santa Croce em Florença, onde também se encontram Machiavelli e Michelangelo, o que prova que a primeira condenação não poderia ter sido a de culpa de heresia mas a de somente “heresia formal”.

No decorrer dos séculos a Igreja vai revendo as suas posições no confronto com Galileu e em 1846 são removidas todas as obras que apoiam o sistema coperniciano.

Em 1992, mais de três séculos passados da sua condenação, é iniciada a revisão do seu processo que decide pela sua absolvição em 1999. Contudo a revisão da condenação não tem nada a ver com o sistema heliocêntrico porque esse nunca foi objecto dos processos.


Blog: AIA2009 | 13 Mar 2009, 5:38 pm

Constituição do grupo

Boas ! ;)

Somos um grupo de trabalho da discpilna de Área de Projecto do 12º C da Escola Secundária de Camilo Castelo Branco – Vila Real .

O nosso grupo é composto por cinco elementos : a Telma , a Sandra , a Raquel , o Nuno e o Nunes .
Grupo

Blog: AIA2009 | 13 Mar 2009, 5:06 pm

Actividades na nossa Escola (Matilde Rosa Araújo)

No dia 6 de Março de 2009 na nossa escola,vão-se realizar algumas actividades para celebrar o "Ano Internacional da Astronomia", A.I.A 2009, entre as 19 horas e as 21horas. Vamos fazer de conta que somos Galileu e observar por Telescópio:
-Saturno
-Nebulosa de Oríon
-Crateras da Lua
-Sírios

O Drº José Saraiva do NÚCLIO também estará presente para apresentar algumas imagens 3D de Marte.
Estão todos convidados para se divertirem a ver o céu na nossa escola.

Blog: Astro2009 | 6 Mar 2009, 3:13 pm



No passado mês de Fevereiro a Prof. Paula Furtado, foi às escolas do 1º ciclo Padre Agostinho Neto e Tires nº 3, juntamente com a sua boneca Matilde Galileu, conversar com os alunos do 3º e 4º ano, sobre Astronomia.Todos estavam ansiosos por esta visita. A sala estava devidamente decorada com trabalhos alusivos ao Ano Internacional da Astronomia.




No início da conversa a Prof. Paula colocou algumas perguntas. Alguns meninos responderam correctamente a questões sobre as estrelas. Mas descobriram que muito mais havia para aprender. Afinal as estrelas não são todas do mesmo tamanho, não se encontram todas às mesma distância do nosso planeta e o Sol não é a maior estrela que existe no céu. É apenas a estrela que está mais perto de nós e é parecida a todas as outras que só conseguimos ver de noite.



Quando se começou a falar de galáxias o interesse aumentou. A partir de imagens, os alunos da escola puderam perceber que existem muitas galáxias no Universo e que todas elas têm uma forma característica, sendo este um critério utilizado pelos astrónomos para as classificar.

E como foi fácil perceber como se movimentam os astros na nossa Galáxia. Com um simples alguidar com água, canela e uma colher de pau, foi possível, mexendo em círculos a canela na água, observar a formação de uma figura à superfície da água, semelhante à nossa galáxia que tem a forma de uma espiral.


O Sistema Solar também despertou grande curiosidade em todos os meninos. Falou-se em algumas características dos maior astro do Sistema Solar, o Sol, e dos planetas.

No fim, e para acabar em grande todos tiveram oportunidade de observar o Sol, através do telescópio que a Prof. Paula levou consigo. Mas, sempre com muito cuidado, utilizando filtros adequados, pois olhar directamente para o Sol pode cegar.

Blog: Astro2009 | 3 Mar 2009, 12:13 am

Ver 1–0 de 191 | « Anterior | Seguinte » | 5, 10, ou 20.